segunda-feira, 10 de junho de 2013

Prezado Dr. Souto: exercício sem carboidratos é possível?

"Prezado Dr. Souto: sou um professor de educação física que atua principalmente como personal trainer. Tenho recomendado o blog para os alunos que querem emagrecer. Vou dar uma breve explicação de como seria um treinamento padrão para emagrecimento. Para um exercício funcionar na perda de peso, devemos enganar o corpo. Faço isso passando entre 2 e 3 sessões semanais de musculação (20 a 35 min cada) e ergometria intensa intervalada, 2 a 4 vezes por semana (entre 10 e 15 minutos cada). Dessa forma sinalizamos para o corpo, com a musculação, que ele precisa de músculos, que por sua vez vão demandar muita energia para formação de mais proteínas contráteis, além das alterações enzimáticas e na TMR que vão favorecer a perda de gordura. Com a ergometria, consumimos glicogênio e sinalizamos para o organismo que ele precisa deste substrato. Então quando esta pessoa for se alimentar, sobretudo se o fizer com os nutrientes adequados, seu corpo estará ciente que precisa formar mais músculos e recuperar o glicogênio, e não que precisa armazenar em forma de gordura haja vista que ela é pouco solicitada. Ocorre que tanto a musculação como a ergometria intensa usam carboidrato como fonte energética principal. Como exemplo, o "pré-treino" que meu nutricionista passou consiste em uma banana, uma fatia de pão de forma integral light com uma colher de mel ou Queensberry. A preocupação/pergunta é: sem um aporte substancial de carboidratos a pessoa não tende a ter hipoglicemia durante um treinamento desses?
Felipe Piacesi"

Este é um tópico de grande interesse, e a resposta apresenta uma série de nuances, que vamos abordar a seguir.

ANTES de mais nada, você, leitor, precisa ler ou reler a postagem sobre glicose e o cérebro. Há alguns raciocínios desenvolvidos naquela postagem que são úteis nesta aqui.

Leu?? OK, vamos adiante então.

A primeira coisa que precisamos estabelecer com muita clareza são os objetivos de cada pessoa. Isso é importante porque NEM SEMPRE os objetivos são compatíveis entre si. Explico.

Toda e qualquer dieta em que haja perda significativa de gordura pode acarretar alguma perda de massa magra. Nas dietas hipocalóricas tradicionais, isso ocorre de forma intensa. Nas dietas de baixo carboidrato, a maior quantidade de proteína e os corpos cetônicos são dois fatores que reduzem esta perda de massa magra. A prática de musculação é capaz de evitar completamente a perda de músculo e, eventualmente, permite o ganho de massa magra ao mesmo tempo em que se perde massa gorda.

A insulina é um hormônio anabólico. Além de facilitar o acúmulo de gordura, ela facilita o aumento da massa muscular. Desta forma, quando a ênfase é no anabolismo, em pacientes que não precisam emagrecer, o consumo de carboidratos antes ou depois do treino pode ser uma coisa benéfica.

Eu seu fascinante livro The Art and Science of Low Carb Performance, S. Phinney e J Volek demonstram como atividades de longa duração tais como ciclismo e maratonas podem ser realizadas sem nenhum carboidrato na dieta desde que o atleta esteja cetoadaptado, isto é, adaptado ao uso de gordura como combustível (adaptação esta que pode levar até 6 semanas). Os autores conduziram pesquisas nas quais uma performance igual (mas não superior) foi obtida por ciclistas profissionais com dieta sem carboidratos versus dieta com carboidratos. 

Mas o leitor Felipe levanta duas questões; uma diz respeito a que "tanto a musculação como a ergometria intensa usam carboidrato como fonte energética principal", e outra diz respeito ao glicogênio e às atividades anaeróbicas como musculação e treino intervalado de alta intensidade.

Quanto a primeira afirmação, é preciso esclarecer algumas coisas. Quando a dieta de uma pessoa é baseada em carboidratos, tais atividades físicas de fato usam estes carboidratos da dieta como fonte energética principal. Mas o que acontece quando não consumimos carboidratos? Desmaiamos? Ficamos com hipoglicemia (hora de reler o artigo sobre a glicose e o cérebro)? Imagine nossos antepassados, que às vezes passavam semanas sem botar um carboidrato na boca, e dias em jejum, desmaiando no paleolítico. Não estaríamos aqui escrevendo e lendo, não é mesmo? (ou ainda imagine COMO eu e outros conseguem fazer 45 minutos de musculação sem comer nada de carbs, ou mesmo em jejum...). Há 2 segredos para nosso sucesso nessas circunstâncias: 1) a cetoadaptação (estar bem adaptado a utilizar a própria gordura como fonte de energia - o que ocorre nas pessoas que comem poucos carboidratos e não têm a insulina cronicamente elevada); e 2) o fato de que o glicogênio muscular nunca é completamente depletado pela dieta. Para aqueles que não são iniciados neste assunto ("glicogênio, o que é isso??"), uma breve revisão.

O glicogênio é a forma na qual o corpo armazena glicose. O fígado armazena glicogênio, assim como os músculos. Existe uma enzima necessária para que a glicose, após ser extraída do glicogênio, possa ser enviada novamente para a corrente sanguínea, a glicose-6-fosfatase. Esta enzima está presente no fígado e nos rins, mas não no músculo. Isto é um conceito fundamental. Por quê? Porque isto significa que o glicogênio do músculo é para uso exclusivo do músculo. Não importa o quão low carb a pessoa seja, o músculo sempre terá glicogênio disponível para suas necessidades de contração anaeróbica (a glicose produzida pelo fígado a partir de proteínas e gordura é armazenada nos músculos mesmo em quem nunca come carboidratos). De fato, as reservas de glicogênio dos músculos nunca ficam abaixo de 30% apenas com dieta; é necessário o exercício de longa duração para esvaziá-las.

Pessoas normais (não atletas) não esgotam este glicogênio muscular com o exercício. Atletas praticantes de modalidades especialmente demandantes (triatlon, ironman, ciclismo de competição) podem esgotar completamente os estoques de glicogênio. Isto normalmente não leva à hipoglicemia, e sim a um fenômeno chamado de "bonking" em inglês, uma palavra sem tradução direta, mas que significa a impossibilidade física de continuar. Em outras palavras, os carboidratos não são necessários para os exercícios físicos indicados para a promoção da saúde de pessoas normais, mais sua falta pode prejudicar a performance de praticantes de esportes radicais, atletas de ponta e de provas de "endurance".

Nossos antepassados não desperdiçavam energia. Corriam o que precisavam correr, para fugir ou para caçar. E depois, passavam a maior parte do dia descansando como fazem os caçadores coletores da atualidade, bem como os demais predadores (pense em leões; aliás, leiam este excelente artigo sobre como os caçadores coletores não queimam no seu dia-a-dia mais calorias do que os homens urbanos). Nosso antepassados jamais fizeram nada parecido com uma ultramaratona, um Tour de France ou uma Triathlon. Os mecanismos naturais capazes de nos sustentar sem carboidratos não se aplicam as estas circunstâncias excepcionais, nem tampouco à potencialização da performance que caracteriza os esportes competitivos de atletas de alto rendimento.

Níveis não naturais de exercício demandam alimentação não natural.

Abaixo, apresento algumas pessoas hipotéticas, com fotos que escolhi aleatoriamente no google:

1) Jorge é um homem de 48 anos com síndrome metabólica, pesando 110Kg. Ele é hipertenso, diabético tipo 2, tem triglicerídeos de 230, HDL de 29 e não pratica nenhuma atividade física. Ele não anda nem duas quadras sem usar o carro, e não consegue subir um lance de escadas sem perder o fôlego.


2) Leandro é um homem de 28 anos com 77Kg, que caminha cerca de 2 Km por dia, e anda de bicicleta nos feriados e finais de semana. Seus exames são normais, assim como sua pressão. Pretende perder uns 5 ou 7 Kg de gordura sem perder massa muscular.

3) Rebecca é uma mulher de 27 anos, maratonista, e que participa de competições em nível internacional. Seus exames são o que se espera de uma jovem atleta: HDL de 100, triglicerídeos de 93, pressão normal. Gordura corporal de 9%. Contudo, Rebecca tem apresentado muitas dores articulares, não apenas nos joelhos, mas em outras articulações como as dos dedos das mãos. Ouviu falar da dieta páleo, e seu objetivo é combater as dores e melhorar sua performance nas competições.

4) Neymar é um menino de 17 anos que não consegue ganhar peso, e pretende começar um programa de musculação e dieta com o objetivo de ficar forte e "sarado". Saúde? Ele nem sabe do que se trata, e também não se interessa, afinal adolescentes são imortais.


5) Sandro tem 25 anos e pratica Triathlon como atleta competitivo na modalidade de Ironman: 3.8 km (2.4 milhas) de natação / 180 km (112 milhas) de bicicleta / 42 km (26.2 milhas) de corrida. Um amigo maratonista lhe falou que low carb é uma boa, pois agora consegue correr uma maratona inteira sem ter que consumir bebidas esportivas com açúcar e carboidratos em gel. Sandro quer tentar uma abordagem low carb, mas para o seu esporte.

Você acha que o plano de dieta e de exercícios deveria ser o mesmo para todos estes casos? Claro que não.

Caso 1 - Jorge. Jorge é um homem doente. Seu risco de morrer é grande. Emagrecer é uma necessidade premente, e quanto antes, melhor. Jorge não pretende ficar com barriga de tanquinho. Jorge apenas deseja conhecer seus netos. Mesmo que Jorge almeje virar um bailarino espanhol, precisa emagrecer primeiro - os músculos ficam para mais tarde. Para este homem, uma dieta low carb de características cetogênicas (menos de 40g de carbs/dia) é terapêutica. Em 30 dias, seus triglicerídeos estarão abaixo de 100, sua glicose estará normalizada sem remédios. Em 90 dias, terá perdido mais de 15 Kg e, embora ainda apresente sobrepeso, sua pressão estará normalizada. Num primeiro momento, jorge não tem condições nem ânimo para praticar exercícios de alta intensidade. Simplesmente levar o cachorro para passear ao redor da quadra já é uma grande vitória e, acreditem, traz benefícios à saúde. Em 180 dias, Jorge poderá ter perdido uns 30 kg, dos quais uns 2 foram de músculo. Azar - perder os 28 Kg de gordura era o objetivo principal, a prioridade. Agora, ele sente-se melhor do que nunca, e tem ânimo e vaidade para começar um programa de exercícios de musculação de alta intensidade para ganhar de volta a massa magra perdida e mais um pouco. Para o tipo de exercícios que Jorge pratica e pretende praticar no futuro, e estando cetoadaptado há meses, carboidratos são completamente desnecessários.

Caso 2 - Leandro. Leandro não é uma pessoa doente, apenas quer perder uns quilinhos. Não tem pressa, e não tem pretensões esportivas: ele anda de bicicleta por lazer, e não como um ciclista de competição - trata-se de prazer, e não de performance. Leandro adota uma dieta low carb, exceto nos dias de treino de musculação, quando se permite uma batata doce ou um copo de leite com seu Whey. Em 3 meses atinge seu objetivo: começa a aparecer o "tanquinho". Leandro não precisa consumir nenhuma grama de carboidratos para sua rotina de exercícios. Mas se quiser consumir um pouco (carboidratos páleo, claro), não lhe fará mal e, quem sabe, facilite o ganho de massa muscular.

Caso 3 - Rebecca é uma atleta competitiva. Ela nunca teve problemas de excesso de peso. Pelo contrário, sempre foi muito magra. Rebecca não quer emagrecer de jeito nenhum. Seu objetivo é manter e, se possível, melhorar sua performance esportiva, e ao mesmo tempo aliviar sua artrite. Ela passa a adotar uma dieta páleo estrita: sem glúten, sem grãos, sem óleos de sementes, e rica em frutas, batata doce e outros tubérculos e, nos dias dos treinos, arroz branco e polenta de milho. As dores articulares desapareceram, assim como  uma enxaqueca que lhe incomodava há anos. Sua performance, em função disso, melhorou. Sua dieta não é low carb - e por que deveria ser? Uma dieta low carb é desnecessária para Rebecca, embora alguns autores tenham demonstrado que sua performance não seria prejudicada por tratar-se de atividade principalmente aeróbica, na qual a gordura é excelente combustível.

Caso 4 - Neymar não quer perder peso de jeito nenhum. Quer ganhar massa muscular de forma acelerada. Como a maioria dos garotos de sua idade, não se importa nem um pouco com saúde, e só come porcarias. Usaria doses cavalares de anabolizantes se pudesse. Por sorte, tem um treinador responsável, que o convence a fazer uma dieta hipercalórica com suplementos de proteínas após os treinos e carboidratos à vontade para acelerar o ganho de massa muscular. Quando percebe que Neymar está ganhando músculos E gordura, o que dificulta os objetivos estéticos de ostentar músculos definidos, o treinador sugere que o rapaz evite os farináceos, convencendo-o de que este é o caminho para que ele fique "sarado". Com esta combinação - treino pesado, dieta sem glúten e 3g de proteína por Kg de peso, o garoto consegue agregar 16Kg de músculos em 18 meses, mantendo o percentual de gordura abaixo de 10%. Neymar não precisa e nem deve restringir carbs. Mas, como toda a humanidade, ele pode se beneficiar de evitar o glúten e as porcarias industrializadas.

Caso 5 - Sandro não se deu conta de que uma maratona é uma atividade aeróbica e que pode ser sustentada completamente por queima de gordura (e de músculos, infelizmente). Ao tentar treinar para o Iron Man sem carboidratos, Sandro se dá muito mal: muito antes da metade da prova ele passa mal e desmaia, e precisa ser atendido pela equipe médica, apresentando hipoglicemia. Sandro já estava com suas reservas de glicogênios relativamente depletadas pela dieta low carb, e os 30% de glicogênio de seus músculos foram completamente exauridos devido à atividade anaeróbica excepcionalmente intensa. Para esforços anaeróbios extremos, os carboidratos são essenciais e indispensáveis.

********** XXXXX ***********

Se você ainda não leu a postagem sobre o tipo de exercício mais recomendado para facilitar o emagrecimento, leia aqui. Em resumo, a função do exercício no contexto de perda de peso não é queimar calorias - nosso corpo queima milhares delas mesmo quando não fazemos nada. O exercício deve 1) aumentar a sensibilidade à insulina para que precisemos de menos insulina e portanto facilitemos o acesso do corpo à gordura estocada; 2) liberar hormônios favoráveis à queima de gordura como o GH e as catecolaminas; e 3) produzir ganho de massa magra para aumentar a nossa taxa metabólica basal. Os exercício adequados para este objetivo são justamente estes descritos pelo leitor Felipe no início da postagem - exercícios intervalados de alta intensidade e musculação com cargas progressivas. Exceto se você for um atleta competitivo ou de alta performance, os carboidratos são completamente desnecessários neste contexto, desde que já tenham se passado no mínimo 14 dias de cetoadaptação.

Mas - não custa repetir - a formatação da dieta, em particular a quantidade de carboidratos, dependerá do objetivo primário que se pretende: tratamento da síndrome metabólica, perda de peso, melhora da performance esportiva ou ganho de massa muscular.

184 comentários:

  1. Cristiane Vianna Silva10 de junho de 2013 23:52

    Esclarecedor!!

    ResponderExcluir
  2. Uma das melhores postagens do blog. MUITO BOM!!

    ResponderExcluir
  3. FANTÁSTICA!!!!
    - o bailarino espanhol - eu ri alto!! Olé!

    ResponderExcluir
  4. Dr. Souto, que postagem mais chique...rs Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Um espetáculo de post! Parabéns Dr.

    Sobre emagrecimento, consegui fazer minha mãe se adaptar a dieta paleo/low carb.

    Eu já tinha tentado outras dietas com ela, mas nunca tivemos sucesso, ela tinha muita compulsão por doces e trigo.

    Após um mês e meio ela emagreceu na balança em torno de 4 kg, as dores nos dedos que ela reclamava, sumiram.

    Esses dias me disseram que acham muito pouco ela ter pedido "só" isso, respondi que não ver mais minha mãe comendo pizza inteira (pq o recheio comemos rsrs) em plena quarta-feira é uma alegria para mim e vê-la com melhor disposição e animada com a dieta é sensacional.



    Primeiro a saúde, o emagrecimento é consequência.

    ResponderExcluir
  6. Amém!
    Em 11/06/2013 07:32, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  7. Doc, já que você está falando sobre hipertrofia e paleo/low-carb, posso sugerir um blog - em inglês - ao senhor e aos possíveis interessados?

    http://chaosandpain.blogspot.com.br/

    O dono do endereço não é exatamente paleo, mas segue uma linha low-carb.

    "Keto doesn't appear to be hurting my results- weighing in at 195, carb depleted."

    Devido a algumas excentricidades de bodybuilder-hardcore-underground, recomendo visitá-lo apenas a quem prioriza o conteúdo e não a estilística -- e aos maiores de idade que não se importam muito com abordagens menos ortodoxas. :)

    Um post interessante:
    http://chaosandpain.blogspot.com.br/2013/05/keto-diets-why-they-work-how-to-make.html

    ResponderExcluir
  8. Carlinhos Gonçalves11 de junho de 2013 08:45

    Parabéns Dr. Souto...realmente muito boa a postagem!...Espero que meus colegas da Educação Física leiam!


    Para colaborar com as suas informações e também como Felipe...descreverei rapidamente um teste que fiz...


    Venho me alimentando com cerca de 50g de CHO já fazem alguns meses...na última meia maratona de POA participei de uma prova de 10km...tomei cuidado para durante as semanas anteriores permanecer com as 50g...na sábado anterior a prova ao invés de ir a uma "Pasta Party"...como é tradicional entre os corredores...fui a um churrasco...no dia da prova acordei e não tomei "café da manhã"...30 minutos antes da prova ingeri 30g de Whey Protein e esperei a largada...qual foi o resultado? Meu melhor tempo para 10km...38min53seg...e "sem" CHO...isso é mais uma confirmação de que os CHO podem ser usados (de forma adequada) mas que eles não são essenciais!


    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. Realmente, um post sensacional!!!

    ResponderExcluir
  10. Sensacional!
    Em 11/06/2013 08:45, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  11. Great. =)

    Meu caso é entre a Rebecca e o Neymar. Estou há quase 1 mês me jogando em frutas e nos tubérculos e a balança não se mexe, apesar de o espelho estar dando sinais dos músculos aparecendo...

    Segundo minha instrutora da academia, se continuar assim, o tanquinho aparece em mais um ou dois meses!
    Minha dieta está com cerca de 130g de carbs...
    Beijos, Doc!

    ResponderExcluir
  12. Doutor, Mark Sisson (que eu tenho acompanhado bastante depois de tuas indicações) prega ainda, de 3-5 horas de exercícios de baixa intensidade.

    http://i247.photobucket.com/albums/gg158/MDA2008/MDA%202011/fitness_pyramid_flat_2012.jpg

    Acho importante reforçar isso. Eu comecei a (aprender a) nadar. Acho que estas horas podem ser gastas com lazer, ou com Aeróbico em jejum, ou em qualquer outra atividade, e estando em cetose (ou não), uma dieta LCHF te deixa mais animado e disposto, é muito notória a vontade que se sente em 'se mexer' e como o cansaço não bate tão facilmente.

    ResponderExcluir
  13. Sim - mas estas atividades de baixa intensidade devem ser "fun", ou seja, diversão. Caminhar no parque com os filhos, andar de bicicleta, nadar, pegar ar puro e sol. Até mesmo correr vários quilômetros, mas fazer isso porque se GOSTA de fazer isso, e não para perder peso. Se o objetivo for preder peso, ficar andando em esteira ou numa máquina elíptica que nem um Hamster naquelas rodinhas é perda de tempo - e a frustração resultante da ausência de resultados acaba levando ao sedentarismo (tipo "eu me esforço e não adianta, então melhor não fazer nada").


    Em 11 de junho de 2013 10:46, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  14. :-)


    Em 11 de junho de 2013 10:13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Já li neste blog uma lógica: a pessoa não é gorda porque come demais e se exercita de menos. O fato é que se come demais e se exercita de menos porque estamos engordando. Ou seja, a alimentação incorreta provoca obesidade, que, por sua vez, "rouba" nossa energia. Por outro lado, ninguém precisa causar um desgaste físico imenso para emagrecer. Deixemos os treinos exaustivos para os atletas, os quais têm prazer no que fazem, e, nós, que só precisamos ter boa saúde, vamos nos exercitar na medida adequada. Como diz o Dr. Souto "Amém"........uma culpa a menos para minha cabeça rsrssrsr

    ResponderExcluir
  16. Tenho feito AEJ (esteira) de 30 a 45 minutos/2-3x semana, mas às vezes acho que ele não será tão eficaz para meu objetivo (perda de peso/gordura). Acho que seguir firme a 'dieta' é melhor.

    Já vou reduzir em número a sessão de musculação, e aumentar os 'tiros'/sprints, reduzindo seu tempo, não apenas porque li aqui, mas para otimizar meu tempo disponível.

    Existem indicações, fora o DIETA TNT e dos anunciados pelo MARK, de exercícios com peso que podem ser realizados nesse curto espaço de tempo? Mais eficazes e que trabalham todo o corpo?

    Acho que a maioria aqui ainda frequenta as academias tradicionais e não tem um personal ou alguém que segue nossa filosofia, à disposição. Eu já solicitei ao instrutor (já antigo na profissão) algumas mudanças, que foram negadas, claro. Já falei a mesma coisa para uma amiga fisio, e fui repreendida veementemente. Não comento que madrugo lá para fazer meu tempinho de AEJ caminhando tranquilamente na esteira. Sabe, não quero ficar ouvindo os blablabla de quem não sabe do que estamos tratando aqui.

    Acho que o caminho é começar a fazer tal exercícios meio por conta, ignorando aqueles que trabalham os músculos isoladamente.

    Não sei muito de musculação, a não ser as eternas séries de adaptação. Alguém pode me ajudar ou indicar material, neste protocolo?

    ResponderExcluir
  17. Como sempre, excelente!

    ResponderExcluir
  18. Ada, te asseguro que dá para fazer uma série de musculação que irá ajudar no emagrecimento em bem menos do que os 40 minutos. Ocorre que existem maneiras de apresentar estímulos tão eficientes que poucas séries, 2-3 x por semana são suficientes para gerar as adaptações esperadas. Um exemplo de HIIT na musculação está neste vídeo, entretanto não estou sugerindo que você faça dessa forma (teria de ter toda uma anamnese e um acompanhamento pessoal, na prática), apenas mostrando que um profissional capaz conseguiria sem problemas, te ajudar nessa questão de pouco tempo disponível.

    http://www.youtube.com/watch?v=74wtpTvpBHo&feature=relmfu

    ResponderExcluir
  19. Obrigado, Felipe, vc q é da área, vá MW ajudando a responder, ok?
    Em 11/06/2013 12:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  20. Thanks!

    Vou usar a falta de 'tempo' como desculpa, se perceber que não vou ter muito sucesso na conversa com ele.

    ResponderExcluir
  21. Com certeza, conte comigo.

    ResponderExcluir
  22. Ada,

    Converse com o instrutor, veja com ele exercícios como o levantamento terra, clean and press e vários outros que utilizam kettlebell, exercícios como estes trabalham vários grupos musculares, mas sempre peça ajuda, pois no início é complicado e deve ter cuidado ao executá-los.
    Se ele não quiser ajudar, troque de academia, simples.

    ResponderExcluir
  23. Sensacional. Obrigada por postar.

    ResponderExcluir
  24. Dr. Souto, gostaria de lhe fazer 2 perguntas a primeira, que eu sei que deveria encaixar na frase "se tenho duvida se posso ou não comer, opto pelo não" mas mesmo assim gostaria de ouvir sua opinião sobre é o chiclete, eu sempre usei ele como uma forma de alivio de stress, ficar cerca de 30 a 40 minutos mascando sempre me acalmou, agora eu gostaria de perguntar, 2 gomas por dia, contendo em media 2g de carbs sendo ele açúcar vão me atrapalhar? Eu raramente como carboidratos de outras fontes, não sou muito fã de vegetais e raramente como frutas Agora uma outra questão, se eu comer de modo low carb, 7 dias por semana, posso comer de 3 em 3 horas visando uma dieta hipercalórica para ganho de massa sem ganho considerável de gordura, ou devo continuar emagrecendo comendo apenas quando e o quanto estiver com vontade para depois focar no aprimoramento da dieta em prol do ganho de massa muscular?

    ResponderExcluir
  25. Crisógenes Pacheco11 de junho de 2013 16:56

    Doutor Souto, deduzo que este não seja um espaço adequado para consultas, mas gostaria de solicitar algumas informações deste mundo que estou adentrando.

    Fiz um check-up há pouco e os resultados alterados foram os seguintes:

    Dia 03/06/2013

    Colesterol total: 439 mg/dL

    Colesterol HDL: 34 mg/dL

    Triglicerídeos: 804 mg/dL

    Pelo que entendi, posso usar por analogia o caso hipotético do Jorge do seu post?

    Comecei uma dieta low-carb com até 20g de carb/dia, no dia 06/06/2013 com 130,4 kg., hoje, dia 11/06/2013 estou pesando 125,0 kg. tenho 35 anos, não fumo, não bebo.

    Existe algum problema em continuar a dieta por conta das taxas elevadas?

    Estou há exatas dez horas lendo tudo no seu blog sem conseguir parar.

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  26. Maravilhoso, Dr. Souto!

    Há cerca de três meses tenho sido leitora assídua de seu blog, mas é a primeira vez que comento.

    Venho descobrindo aqui um "admirável mundo novo" - que, ao que parece, não é tão novo assim...

    Sua autoridade nos assuntos que aborda advém, não apenas de seu inegável conhecimento científico, mas, e talvez principalmente, de sua opção em abordar um assunto absolutamente impopular na maior parte do "mundo do emagrecimento", de forma clara, direta e eficiente, ou seja, de falar diretamente para aquele a quem interessa a informação.

    Seus posts são preciosidades, e o senso comum não resiste à sua argumentação consistente.

    Pessoas como você e iniciativas como a sua são capazes de mudar uma "velha ordem", que já não convence a muitos de nós, mas que nós mantém atados a ela por nos sentirmos impotentes frente ao que nos é "desconhecido".

    Seu trabalho já dá frutos, e a notícia que acabo de receber agora, vinda de um blog direcionado a corredores é prova disso:

    "a O2 de Junho fala exatamente sobre nutrição, açúcar, gorduras, dietas e tem uma entrevista MUITO BOA com o jornalista Gary Taubes, aquele mesmo que defende que GORDURA NÃO FAZ MAL.

    A capa, assim como o conteúdo da revista, vc vai amar ou vai odiar:"

    A capa da (surpreendente) da revista pode ser vista aqui:

    http://correpaula.com/2013/06/11/quando-a-gente-ama/

    Desconheço ainda o conteúdo, mas só o fato de de ter sido lançada nesse tipo de veículo, já sinaliza muita mudança para nós.

    Grande abraço, com meus sinceros agradecimentos por seu dedicado trabalho.

    ResponderExcluir
  27. Luciano Rodrigues11 de junho de 2013 18:32

    Dr.

    Parabéns. Essa postagem como uma luva.
    Tenho 1m90 e a cerca de 1 ano atrás estava com 122kg. Meus exames de sangue estavam normal, apenas com a pressão alta (14/10).

    Resolvi embarcar na academia e uma alimentação "regrada" igual o pessoal prega. Funcionou, baixei para 98kg.

    Nesse período priorizei a perda de gordura e não o aumento de massa muscular.

    Como comecei a Paleo, minha dúvida era justamente se poderia começar a puxar forte para aumentar a massa magra e detonar a gordura (principalmente na barriga). Eu acho que depois desse post, tudo fica mais claro.

    Em relação a Páleo, tenho algumas dúvidas:
    - Nesse começo, eu não sinto fome propriamente dita. Tenho uma sensação que o corpo parece estar dizendo: "Hey, alguma coisa tá diferente, to sentindo falta de algo".
    - É normal as vezes sentir uma leve tontura durante o dia?

    []s

    ResponderExcluir
  28. Olá Dr.

    Estava vendo esse post com um amigo (engenheiro de alimentos) e falávamos sobre suplementação alimentar do exercício. Daí ele me informou que o Whey, por ser do soro do leite, tem um dos maiores índices insulimêmicos (http://weightology.net/weightologyweekly/wp-content/uploads/2010/07/Insulin-4-different-proteins.png).
    Daí eu pergunto: para mim, que o uso como suplementação da quantidade de 30g de proteínas ingeridas pela manhã, e usualmente à tarde, o whey não estaria elevando os níveis de insulina? Obrigado.

    ResponderExcluir
  29. Olá Luciano.

    Você está se adaptando! Tontura, irritação, dor de cabeça...Isso é bem normal. Mas passa logo, fique tranquilo.
    Sobre exercícios leia aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/exercicio-sim-mas-nao-o-que-lhe.html

    ResponderExcluir
  30. Olá Cristógenes.

    Primeiro, parabéns!! Pelo emagrecimento e pela sábia decisão!

    Essas taxas todas vão melhorar, não se preocupe. Páleo/LCHF é ideal para melhorar seu perfil lipídico. Espere um mês, repita seus exames e venha aqui contar pra gente, tenho certeza que serão boas notícias.

    ResponderExcluir
  31. Leonardo:

    O problema do chiclete não são as 2 g de carbs. São os falsos sinais que fornece ao corpo: seu corpo "pensa" q vc está comendo um alimento rico em carboidratos. O alimento nunca chega ao estômago, mas o gosto doce faz vc salivar, e o cérebro faz seu estômago secretar um monte de suco gástrico (um paciente que vai fazer cirurgia não pode mascar chiclete, pois o estômago fica tão cheio de suco gástrico que é como se não estivesse em jejum). Resultado? Aumento da fome (e, em geral, da fome por carbs!!). Assim, não é proibido, mas eu não recomendo.

    Pode comer cada 3 horas, ou pode detonar 3 ou 2x por dia, como vc preferir, se sua intenção for dieta hipercalórica. De qualquer jeito, funciona para ganhar massa muscular E massa gorda. Como já expliquei, vc precisa decidir sua prioridade. Se for emagrecimento, melhor comer de acordo com a fome. Por mais low carb que seja, se for hipercalórica, a dieta não vai lhe permitir perder gordura.


    Em 11 de junho de 2013 16:25, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  32. Hoje atendi um paciente que tinha exames parecidos com os seus, e que em 50 dias ficaram completamente normais. Dê um tempo de dieta, e repita, vc vai se surpreender.


    Em 11 de junho de 2013 16:56, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  33. Puxa Clarissa, obrigado :-)

    Estou sabendo da revista, ainda não tive tempo de colocar minhas mãos nela, mas é CERTO que vou postar sobre isso.


    Em 11 de junho de 2013 17:19, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  34. Luciano, quando começamos a ter acesso à nossa própria gordura, a fome diminui, é assim mesmo!


    Em 11 de junho de 2013 18:32, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  35. Bom, quem usa Whey pós-treino QUER um pico de insulina anabólico. Além disso, o aumento imediato da sensibilidade à insulina e do número de receptores Glut-4 na superfície das fibras musculares atenua sobremaneira este pico de insulina. Assim, no problem!

    Já para consumir fora do contexto do exercício, faça o seguinte: se perceber que está lhe atrapalhando, diminua o consumo. Na PRÁTICA, não tenho visto problemas. Talvez porque a insulina seja apenas parte da equação. Há o efeito térmico das proteínas, que faz com que uma boa parte de suas calorias sejam perdidas como calor.


    Em 11 de junho de 2013 20:02, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  36. Exercício sem carboidratos é possível?

    Sim, é possível! É possível hipertrofia, é possível definição, é possível treinar INTENSAMENTE sem ingerir carboidratos nem mesmo antes ou depois da sessão de musculação.

    E mais, é possível aumentar massa muscular sem ganhar gordura simultaneamente, mantendo-se uma alimentação com baixíssimo consumo de carboidrato (verduras e alguns vegetais), sem ingerir suplementos esportivos, sem leite e derivados (incluindo whey protein e caseína) e sem açúcar.

    Doutor Souto me conhece! Quem não conhece e quiser saber sobre a minha experiência de atleta de competição (fisiculturista) vivendo em ultra LOW-CARB, eis alguns tópicos sobre a minha dieta:

    http://claudiafitblog.blogspot.com.br/2013/01/low-carb-high-fat-100-real-food-baixo.html

    http://claudiafitblog.blogspot.com.br/2013/02/4-low-carb-high-fat-100-real-food-baixo.html

    Claudia Vilaça

    ResponderExcluir
  37. Isso aí, Cláudia, mostra pra esse povo!!


    Em 11 de junho de 2013 21:19, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  38. Cláudia, você é exemplo e inspiração!

    ResponderExcluir
  39. Obrigada, Patrícia!

    ResponderExcluir
  40. Engraçado, Doutor Souto, é que estou cada vez mais "refinando" a minha vida LOW-CARB.


    Esta dieta faz com que a gente se conheça melhor, que observe os sinais que o corpo dá, as respostas, as intolerâncias, o que funciona e o que não nos serve.


    Um exemplo, as castanhas. Fui experimentar introduzir as nuts na minha dieta e não me caíram bem. Já o óleo de coco, definitivamente, é "a minha gordura", em todas as refeições, antes e depois do treino, sempre!


    Grande post este, parabéns e obrigada por partilhar seus conhecimentos.

    ResponderExcluir
  41. Pra quem acha pouco perder 4 kg em 1 mes e meio, basta lembras como era antes dela adotar uma alimentação primal

    ResponderExcluir
  42. Não tenha pressa, 5 dias é muito pouco tempo, mas a tendencia é que seus exames melhorem com o tempo. E não existe qualquer problema em fazer a dieta por conta do colesterol elevado, pelo contrario, uma alimentação paleo vai melhorar sua saude em todos os aspectos.

    ResponderExcluir
  43. Olá Dr.
    Eu não me apresentei (me desculpe): estou na dieta que você recomenda há 15 dias e o mais perto que passo de um exercício é quando levanto o braço para colocar o garfo na boca (risos). Daí a minha preocupação com o pico de insulina causado pelo Whey. Uso o whey somente para alcançar os 30g de proteína no café da manhã (como ovos e etc, por isso uso só meia medida). Alguém me recomendou albumina em pó no lugar do whey, mas disseram-me que tem efeitos colaterais indesejáveis - a não ser que sejamos solitários (risos). O que acha? Whey ou Albumina (ou tanto faz)? Obrigado de novo.

    ResponderExcluir
  44. Amiga, que bom que comentastes aqui.

    Esse blog é ótimo, as pessoas aqui estão sempre dispostas a ajudar... a discutir, debater, apoiar. E obrigada por repassar minha indicação para o blog da Paula.

    Eu ainda não encontrei a revista, e quando acontecer, te envio se não achar por aí.

    ResponderExcluir
  45. Olha, minha experiência: passei anos baixando a insulina por METFORMINA, por conta da SOP.
    Depois de alguns dias fazendo a 'dieta' direitinho, tomei whey e passei muito mal. A sensação que eu tinha é que eu dei ao meu corpo tanto açúcar e me recordei de como eu passava mal quando tinha picos glicemicos e insulinicos. Joguei fora no dia seguinte, e o tal whey da Chocorite é indicado aos que fazem atkins, apenas 3g net carbs/porção, então não foi pelos carbos.

    Não sei qual tua dosagem de proteína ingerida/dia, mas tente conseguir tudo pela alimentação. Já li por aí que quem não se exercita dica entre 0,7-1,5g/kg corporal, e quem se exercita vai além, média de 2,0g/kg, e bodybuilders, mais além ainda. (CONFERE PESSOAL?)

    ResponderExcluir
  46. Essa celebridade tem uma visão low carb e desfaz os mitos que cercam exercicios para entrar em forma.

    http://acreditabonita.com.br/blog/2013/06/o-dia-em-que-o-sonho-acabou-mas-voce-acordou-o/

    Alguém mais curte?

    ResponderExcluir
  47. Caro Doutor Souto,

    Sou corredor de rua amador com certa experiência, já tendo participado de algumas maratonas e várias provas menores (5, 10 e 21 km). Não tenho sobrepeso e sou praticante regular de atividade física (6 x / semana, sendo 3 de musculação + 3 de corrida). Meu objetivo seria melhora da performance esportiva na corrida com ganho/definição de massa muscular. Não consumo açúcar nem refrigerantes, porém sempre segui a noção geral de uma dieta baseada em carboidratos para suporte à prática desportiva. Então, quais seriam as recomendações gerais para adoção de uma dieta paleo no meu caso?

    Parabéns pelo excelente blog...

    Breno.

    ResponderExcluir
  48. Eu é que devo agradecer a você, afinal foi você quem me "apresentou" ao Dr. Souto, ainda naqueles tempos em que eu tinha "medo" até de "pensar", quanto mais de tentar! Rsrsrsrs!
    Agora, já li o blog todo, já me sinto mais "íntima", e tive que deixar a timidez de lado para comentar o maravilhoso post de ontem (como o são tantos e tantos posts por aqui).
    Deixei o link no blog da Paula para aqueles que queiram se informar de verdade, formarem sua opinião, e fazerem suas escolhas livremente, e não apenas permanecer em suas "certezas preconceituosas".
    De minha parte, esse é o caminho que quero seguir.
    E, conseguindo juntar a corrida, que já adorava, com a alimentação low carb, aí com certeza, estarei no "paraíso"!

    ResponderExcluir
  49. Procure aqui (não sei linkar) os comentaristas Adolfo Neto e Luciano Tambrosi (acho que é este o sobrenome). Eles são experientes em esportes de endurance e low-carbers.


    http://adolfoneto2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  50. Fascinante dr Souto . tenho ja ha meses acompanhado o seu blog , sou medico.comecei praticar o estilo low carb e emagreci 20 kgs em 4 meses.

    este artigo foi muito interessante. tenho uma duvida .

    e os diabeticos tipo 1? exemplo : paciente faz uso de lantus q teoricamente reporia a secreçao basal do pancreas em condiçoes sem ingestao de carbs. este paciente só usaria insulina ultrarapida na contagem de carbs . mas caso este paciente praticamente nao ingerisse carbs - entao ele poderia apenas usar a lantus pois nao teria q se preocupar com a ingesta de carb.

    será q existem casos que pacientes - talvez a longo prazo se acostumassem em um estado de cetose sem entrar em cetoacidose?

    nunca li nada a respeito mas fiquei curioso pois tenho menbros na familia dm tipo 1 .

    me pergunto se os endocrinos - q sao terminantemente contra a parada de carb em qq individuo - mas estes picos e vales que vemos no dm tipo 1 nao seria por se padronizar doses de uma forma geral e pouco se preocupar com a individualizar metabolica das pessoas . entao , esses pacientes , principalmente os mais carentes que tem q usar nph - ficam num descontrolole doido e com flutuaçoes muito grande.

    seria a soluçao de manter a insulina q faz a secreçao basal pancreatica e reduzir a tal ponto o carb que praticamente nao precisasse de outra insulina.

    me parece que o medico ppede para tomar o veneno - carb - e depois aplica-se o antidoto = insulina rapida

    grato

    estevam

    ResponderExcluir
  51. Minha história é parecida com a sua, Ada. Fiquei um bom tempo nos treinos de "adaptação" até ir reagrupando os exercícios por conta própria e montando séries para cada grupo muscular.

    Aprendi muito nas leituras de blogs e fóruns, ia testando, via o que dava certo e desprezava o que achava que não funcionava.

    Com a dieta foi a mesma coisa, depois de cansar de ouvir nutricionistas "esportivos" recomendarem mel, barrinhas de cereal e muita dextrose no pré e pós-treino, o que me causava dores de cabeça fantásticas!

    Isso foi há 5 anos, quando comecei a praticar atividade física, musculação na academia do bairro. Hoje sou atleta de competição, tenho 51 anos e vivo em dieta de baixo carboidrato, treinando intensamente!

    http://claudiafitblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  52. Estevan, sua frase "me parece que o medico pede para tomar o veneno - carb - e depois aplica-se o antidoto = insulina rapida" está perfeita! Quem tem DM tipo I vai precisar usar insulina, mas muito menos em low carb.

    Compre e leia este livro: http://www.amazon.com/gp/aw/d/0316182699/ref=mp_s_a_1_1?qid=1371076468&sr=8-1&pi=SL75 Em 12/06/2013 16:17, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  53. Oi, Ada.

    Sou adepto da TNT e eles são enfáticos em dizer q o melhor resultado na melhora do % de gordura é com musculação.
    Veja esse blog:
    http://guiapraticodadietatnt.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  54. Sobre o post e o blog, vou parafrasear o próprio Dr. Souto quando se referiu a Gary Taubes: "brilhante demais e faz sentido demais para ser ignorado".

    ResponderExcluir
  55. Uma observação. Essas revistas de corrida defendem esta prática para tudo: emagrecer, melhorar a saúde, melhorar o aspecto, melhorar a postura... E talvez a busca pelo emagrecimento seja o principal fator que leve as pessoas à prática de corridas longas e moderadas, "para queimar gordura". Ocorre que Gary Taubes, Dr. Souto, Dr. Paulo Gentil, humildemente este que vos escreve, sabemos que esta prática não é adequada para este fim. Então a entrevista (que ainda não li) fica meio que "limitada", pois se abrir a boca sobre a atividade aeróbia estará jogando contra a revista! hehe

    Aqui Gary Taubes abriu a boca para falar sobre exercícios, sobretudo aeróbios, no emagrecimento.
    http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDR80151-7945,00.html

    ResponderExcluir
  56. Crisógenes Pacheco13 de junho de 2013 11:54

    Doutor, comparei-me com o caso do Jorge do post, mas não sou diabético, minha glicose neste mesmo exame deu 80 mg/dL.
    Outra taxa que estou com dúvida é a do ácido úrico que os valores de referência são, de 3,4 a 7,0 mg/dL e o meu deu 8,6 mg/dL. A endocrinologista orientou evitar carnes vermelhas. Pergunta: é mesmo necessário evitar carnes vermelhas?


    Obrigado.

    ResponderExcluir
  57. Olá, Regina! Me permita fazer uma pequena correção ao seu comentário sobre a relação entre exercícios físicos e boa saúde. Exercitar-se intensamente e esforçar-se ao máximo é ÓTIMO para saúde, sobretudo se este máximo esforço for feito levantando pesos (musculação). Obviamente há que se ter um profissional capaz para conduzir as pessoas aos chamados treinos máximos e planejar o descanso adequado, e te asseguro, não é difícil chegar lá. Um amigo, também professor de educação física, usa a seguinte frase: "musculação é o mais próximo da fonte da juventude que o homem conseguiu inventar". Acredito bastante nisso. Gostaria de compartilhar com todos um vídeo e uma nota em que o Dr. Paulo Gentil relata uma pesquisa que relaciona longevidade e força. Não preciso nem mencionar que um corpo mais forte é um corpo mais funcional e autônomo. Ou seja, mais anos de vida com maior autonomia!

    Por Dr. Paulo Gentil (https://www.facebook.com/drpaulogentil?fref=ts)
    Mais força, mais vida

    A busca pela longevidade é uma constante em nossas vidas. Sempre estamos buscando estratégias para viver mais e melhor e o papel do exercício nesses aspectos já está bastante consolidado desde a década de 1970. No entanto, um estudo conjunto de pesquisadores suecos, espanhóis e estadunidenses trouxe novos e interessantes elementos para a argumentação a favor de uma vida ativa. O estudo fez uma avaliação inicial entre os anos de 1980 e 1989 em mais de 10.000 homens e os acompanhou por aproximadamente 20 anos.

    Nas análises iniciais a força dos participantes foi testada no supino e no leg press e também foram analisados fatores de risco com um objetivo simples: examinar a relação entre a força muscular e a mortalidade!

    Com base no resultado dos testes, os participantes foram divididos em três grupos de acordo com os níveis de força e, para que o histórico de doenças e os maus hábitos não mascarassem os resultados, as comparações foram corrigidas pela idade, tabagismo, atividade física, índice de massa corporal, condições médicas iniciais e histórico familiar de doenças cardiovasculares.

    O resultado foi impressionante! A taxa de mortalidade por causas gerais nas pessoas mais fracas chegou a ser 2,2 vezes maior em comparação às pessoas mais fortes. Quando foi analisada a mortalidade por câncer, as pessoas mais fracas chegavam a apresentar um risco de morte 4,3 vezes maior!! E não achem que os resultados são aplicáveis apenas aos idosos, pois a relação entre força e longevidade foi encontrada mesmo nos indivíduos mais jovens.

    A conclusão dos autores é que "é possível reduzir a taxa de mortalidade promovendo a prática regular de musculação envolvendo os principais grupamentos musculares duas a três vezes por semana".

    É isso! Vamos fazer força e viver mais.

    ResponderExcluir
  58. Sobre os vídeos, se eles que começaram "tarde" estão experimentando tantos benefícios, imagine fazer musculação bem orientada desde os 30 ou 20 anos?

    Idosos relatam os benefícios da musculação intensa:
    http://www.youtube.com/watch?v=BOr5SzW4OiI

    Paulo Gentil explica como e por que idosos devem fazer exercícios intensos.

    http://www.youtube.com/watch?v=tcSGrrQugR8&feature=youtu.be

    ResponderExcluir
  59. Dr. Souto, me permita um retoque: levar o cachorro para passear é uma atividade de alta intensidade para o Jorge, e como você disse, trará benefícios.
    Abraços

    ResponderExcluir
  60. Obrigada Luciano! Eu tenho o livro, que li rapidamente. Acho que eu vou rele-lo, e leva-lo ao instrutor de má vontade. E não vou trocar de academia porque paguei o ano antecipado rs.
    E voltar com força para a musculação.

    Aproveitando, inclusive, eu te mencionei aqui pois BRENO questionou sobre dieta LC para atletas de endurance, e te indiquei juntamente com o Adolfo Neto.
    É tu quem

    O comentário está logo mais abaixo.

    ResponderExcluir
  61. Oi, Ada.
    Então, faço lowcarb tem uns bons meses, acompanho o blog do Soutinho desde quando ele conseguia responder tudo e fui um privilegiado nisso.
    Faço provas amadoras de ciclismo, treino pra isso como posso e imagino que seja bom.
    Quando estava plenamente cetoadaptado fiz treinos de 150km sem carbo algum, nada mesmo.
    Agora to treinando pra uma prova de 300km e vou mergulhar no baixo carbo de cabeça pra chegar lá desmanchando gordura e, espero, resistindo às 15 horas de pedal sem carbo... quem sabe.
    Se endurance for de resistência mesmo (sem explosão) LC é o caminho, mas tb se a pessoa quiser fazer recarga no dia anterior e durante a prova ou treino usar carbos não tem problema algum, no meu entendimento.
    Creio que o caminho seja se experimentar e ver onde fica melhor pra si.

    ResponderExcluir
  62. Não. http://www.fourhourworkweek.com/blog/2009/10/05/gout/


    Em 13 de junho de 2013 11:54, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  63. Amém!


    Em 13 de junho de 2013 11:57, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  64. Muito bom!!


    Em 13 de junho de 2013 12:05, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  65. Perfeito!


    Em 13 de junho de 2013 18:08, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  66. Oi, é Tambosi... rsrs
    Mas serve Trombone, Trombose...
    Se eu puder ajudar...

    ResponderExcluir
  67. Parabens pelo excelente post Dr!
    Qual uma quantidade adequada de proteina vc acha? Para alguem que só queira manter a massa fazendo musculação diariamente?
    Sabe-se que a ketogenese só é possivel na falta de glicose,mas até mesmo o excesso de proteina pode atrapalhar....
    Em torno de 2,2g/kg é um bom começo?
    um abraço!

    ResponderExcluir
  68. Sorry.

    Sofro deste mal no nome todo, vivo de apelidos.

    ResponderExcluir
  69. ahhh,

    vou fazer dia 07/07 uma prova de resistência de 300km em Floripa.
    Vou buscar fazer em LC. Comecei a regular CHO hj pra ter certeza de chegar cetoadaptado no dia.
    Vou levar couro de porco frito como lanche, água, whey e bcaa. Vou parar pra comer proteína+gordura+vegetais quando bater fome.
    Logo lanço os detalhes e se deu pra fazer, afinal são umas 14hs de prova com largada à 1 da manhã.

    ResponderExcluir
  70. Sou sua leitora há tempos Claudia, sob pseudonimo!

    Thanks pela ajuda.

    ResponderExcluir
  71. Caro Luciano,

    Em linhas gerais, como é a sua dieta LC para enfrentar a rotina de treinos e provas? VC costuma alterá-la em algum período (base, pré-competitivo, polimento, competitivo, readaptação, ...)?

    Tem alguma referência (site, bibliografia) para me indicar?

    Tenho sentido vontade de experimentar algo novo e acho que me adaptaria bem com LC, até porque muito da minha dieta se assemelha aos princípios aqui discutidos. Falta talvez adaptá-los à rotina de treinos.

    Valeu pela ajuda.

    ResponderExcluir
  72. É uma boa quantidade sim. Por kg de peso ideal.
    Em 14/06/2013 08:59, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  73. Concordo, Felipe, que muitas pessoas (como eu) possam procurar corrida, a princípio, como a atividade física direcionada ao emagrecimento, já que, sim, esse é o "senso comum". Ocorre que, muitas pessoas (como eu) encontram nessa atividade um bem-estar físico e mental e um prazer que eu dificilmente poderia explicar aqui.

    E quando essas muitas pessoas (como eu) adotam uma prática low carb, o que elas farão não é simplesmente abandonar essa atividade porque agora sabem que ela não é a melhor para emagrecer... Isso porque a corrida já deixou de ser, para nós, apenas "ferramenta" no processo de emagrecimento.

    Nosso desafio passar a ser conciliar a atividade física que nos dá ganhos muito além do estético, com a alimentação que elegemos.

    É nessa medida que julgo fundamental a veiculação de matérias como essas, nesse tipo de revista.

    Até porque esse "senso comum" de que falei acima, parece não ser mais tão "comum" assim.

    Logo no editorial, o redator já "resume a ópera", dizendo: "não é uma revista para quem corre para perder peso; é pra quem quer perder peso para correr cada vez melhor..."

    E, na última página, ótimo artigo do Nuno Cobra, na mesma linha.

    Se isso serviu, e bem, a "amarrar" e justificar a indiscutivelmente polêmica, e até incômoda, presença de Gary Taubes e suas "idéias" na revista (imagine a cara dos leitores assíduos e assinantes?), em nada menos que 14 páginas, celebra também a diversidade.

    Esse, o mérito, a meu ver.

    Avancemos!

    ResponderExcluir
  74. Amei, cada vez aprendendo mais e reforçando os argumentos para convencer quem se interessa pelo assunto, mas uma coisa está me deixando muito preocupada: há um mês mais menos que meus estão cabelos caindo muito! Penso que por causa da dieta não pode ser, estresse talvez, mas estou num momento super tranquilo, peço que se alguém tiver uma dica, ou alguém que tenha ou esteja passando por esse problema, compartilha comigo. Estou muito preocupada! Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  75. legal demais!

    ResponderExcluir
  76. Olá Mônica.
    Não sei onde mora, mas em SP o inverno chega com força! E é bem comum uma maior queda de cabelo nessa época do ano. Mas não dispense a ajuda do dermatologista, melhor vc procurar um profissional e ver se a queda é normal ou não.

    ResponderExcluir
  77. Oi Patrícia, moro em Fortaleza, e já marquei pro dia 2 pra dermo. Mas, você acha que o consumo de whey poderia causar queda de cabelo? E uma outra mudança que estou tento é o aparecimento de espinhas, tipo cravinhos na região glútea, também irei falar pra dermo. Mas até lá desabafando com vcs. Bjus!

    ResponderExcluir
  78. Queda de cabelo não, mas teve uma leitora do blog que afirmou que, pra ela, Whey dava espinhas. Parece que no geral ela não se dava bem com nada lácteo. Acho que o que vc tem na região dos glúteos é foliculite. Falta de gordura tbm pode provocar mudanças hormonais que afetam os cabelos tbm.

    Mas não se estresse moça! Se acha que é o Whey, suspenda por um tempo e veja o que acontece. E aguarde a dermato que é melhor.

    ResponderExcluir
  79. A explicação de bem estar psicológico talvez seja a única que justifique a prática de corridas de longa duração. Longa duração para mim é qualquer coisa que extrapole os 1000 metros correndo de maneira consecutiva. Esse bem estar relatado está ligado à liberação de hormônios como a endorfina e acabam por "viciar" a pessoa. Como profissional da saúde que sou e profundamente interessado em fazer com que meus alunos mudem de vida e tenham uma atividade física saudável e sustentável para toda a vida, não recomendo esta prática. A corrida de longa duração faz com que precisemos correr, por eficiência energética, de uma forma equivocada. Como já foi falado, evoluímos para correr curtas distâncias em altas velocidades e caminhar longas distâncias. Qualquer um que já deu um pique sabe que isto é feito na "ponta dos pés", tanto a arrancada como a aterrissagem. Dessa forma. há redução do impacto em joelhos, quadris e coluna vertebral. A corrida de longa duração é uma "caminhada em velocidade", e o calcanhar não recebe, nem muito menos transmite bem esse impacto para o resto do corpo. Leia este artigo, cientificamente embasado, sobre o tema: http://www.trustsports.com.br/textos_detalhes.php?id=48#.Ub9CM_m1Fsk

    Na prática, o que recebo de pessoas "super saudáveis" pela prática sistemática da corrida de rua com, discopatias, condropatias e obesidade com recomendação médica para prática de musculação não é brincadeira. Muitas com joelhos piores que os da minha avó, mesmo com apenas 30 anos de idade, discopatias... Mulheres e homens jovens com desequilíbrio musculares, posturais... Mulheres com quadris largos são ainda mais afetadas pois o ângulo do fêmur normalmente forma um X com a tíbia e gera desgastes nas cartilagens do acetábulo e da cabeça do fêmur, além de atrito irregular entre fêmur e tíbia. Não pense que isso ocorre somente com quem se mete a fazer maratonas, estou atendendo uma jovem de 23 anos com condromalacia grau 1, desenvolvida com "inocentes" 10 km semanais, divididos em duas sessões orientadas por um professor num clube de corrida. A musculação pode ajudar mas não fará milagres, sobretudo se não houver o devido descanso e uma melhora na força. Se não ela pode acabar sendo mais um estresse numa articulação/corpo demasiadamente estressado pela corrida. De qualquer forma, o risco desta prática a longo prazo, é muito grande. Basta ver que aos 45 anos, a artrose (que ocorre principalmente nos joelhos e articulação dos quadris) afeta 20% da população, beirando os 100% aos 80. Não tiro nem obrigo ninguém a parar de correr longos períodos, entretanto seria omissão não alerta-los dos riscos inerentes a essa prática. Cientes disso, cabe a cada um decidir como quer estar daqui algumas décadas.

    ResponderExcluir
  80. Felipe, como é bom ler o que vc explica sobre exercícios!!!! Obrigaaaaaada!

    ResponderExcluir
  81. Caro Dr. Souto,
    (Desculpe a insistência, mas como desejo uma resposta sua, estou postando essa pergunta novamente, pois aqui não tenho um médico que possa atender essa dúvida)
    Estou em cetose há meses. Sex. e Sáb. passados comi bastante carbs num aniversário. No domingo, retornei ao low carb. e tomei uma dose de whay por volta das 19h. Dormi. E 9h de hj, antes da musculação, tomei Whay de novo. No fim de 40 min. de musculação, 11h20min, senti tontura e quase desmaiei.

    Levando em conta que havia reserva de glicogênio, pois comi muito carb. no fds, sendo pouco provável ter saído da cetose. Resta a opção de hipotensão arterial. Pois quando cheguei em casa, comi sal e fui melhorando. Senti cefaléia e até boa parte da tarde permaneci com pressão de 9/6, ressalte-se que nunca tive hipotensão arterial.

    A que se pode atribuir tal fato?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  82. Minha primeira hipótese é pouco sal. Mantenha co consumo de sal mais elevado, é uma necessidade para quem faz dieta cetogênica.


    Em 18 de junho de 2013 00:08, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  83. Whey piorou minha pele, fato. Mas consumo outros lácteos sem problema.

    ResponderExcluir
  84. Whey pode aumentar a insulina por causa de seus aminoácidos de cadeia ramificada. Produtos lácteos mais ricos em gordura e com menos proteína (manteiga por exemplo) não costumam provocar este efeito.


    Em 18 de junho de 2013 10:03, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  85. Verdade, até relatei aqui no blog: vinha mantendo a cetose, e tomei um whey há umas duas semanas, antes de uma aula. Passei MUITO mal, pressão baixou, tontura, vômitos, tremores. Uma crise de hipo piorada. (Dada minha condição de SOP, por essas e outras questões médico determinou voltar à metformina.) Joguei fora o que tinha sobrado de Whey.

    Café/chá com manteiga: não existe melhor definição de energia.

    ResponderExcluir
  86. Por nada, Patrícia! É sempre um prazer ajudar.

    ResponderExcluir
  87. Caro Felipe,
    Agradeço sua orientação e seu alerta.
    Quanto ao alerta, sua opinião abalizada e profissional vai,de fato, ao encontro das de outros tantos profissionais de sua área, e de áreas correlatas, que adotaram a “filosofia” low carb para a vida, e que tenho pesquisado, com afinco e dedicação, desde que também me decidi por uma incursão nesse mundo,novo para mim até então.
    Sua dedicação ao estudo, e sua preocupação quanto à conscientização das pessoas em relação a essa mentalidade são inegáveis.
    Minha mensagem não teve a intenção de polemizar ou confrontar uma opinião como a sua, mesmo porque, não possuo formação nessa área
    do conhecimento.
    Ao contrário, o que fez com que eu relacionasse a matéria da revista ao post do Dr. Souto, em resposta à sua pergunta, foi justamente o ponto de convergência que possa existir entre esses assuntos e, por que não dizer, esses “mundos” .
    Ao “convidá-lo” a avançar na discussão minha intenção foi elevar a abordagem a um outro patamar,uma vez que da mesma forma que a revista toca num assunto bastante polêmico, e
    até impopular para – arrisco-me a dizer – a maioria de seus leitores e da opinião pública em geral, demonstrando claramente que não está insensível à existência de um mundo (e não um submundo) lowcarb, que não pode ser ignorado, penso ser possível e necessária uma compreensão, de nossa parte, de que, neste exato momento, provavelmente haja centenas (talvez milhares?) de pessoas daquelas “saradas e saudáveis”, daquele “outro mundo”, questionando-se, buscando conhecer, compreender, para então escolher.
    É uma realidade. E afinal, não é para isso que se vem lutando tanto em espaços como esse aqui? Para romper as barreiras impostas pelo “consenso”
    nutricional e de prática de atividade "saudável” vigente, pelo poder da mídia, pelo poder econômico e outras tantas injunções a que estamos nós submetidos?
    Conheço vários corredores que já sensibilizados para essa realidade, iniciam essa busca, e virão “bater ” aqui nessa porta (eu mesma “linkei”
    o artigo que o Dr Souto escreveu em resposta à sua indagação em sites e blogs dedicados a prática da corrida).
    E como vamos receber essas pessoas que chegam a nós, cheias de dúvidas, e principalmente, um desejo sincero de aprender mais a cada dia, de se melhorar, como pessoas e seres humanos? (Por menos que se possa acreditar, nesse mundo de aparências, nem todas as pessoas desejam apenas emagrecer ou ficar “saradas”....)
    Certamente, não é com uma postura apenas reativa (a que,aliás, estamos acostumados, pois é a que muitos têm sobre o nosso estilo de vida) que vamos auxiliar essas pessoas.
    Foi nessa direção a minha mensagem, já que acredito que nenhuma evolução se dê aos saltos...
    Grandes paradigmas em nossa sociedade já foram quebrados, mas nunca da noite para dia.
    É preciso paciência, perseverança, semeadura constante...
    É preciso indicar caminhos, possibilidades...
    E é por isso que, na minha primeira manifestação nesse “forum”, tanto elogiei a postura do Dr. Souto, que tem sido exatamente esta, ao longo dos meses
    que aqui tenho vindo.
    Mais do que médico ou estudioso, ele tem sido um professor para aqueles que têm a sede e desejo pelo conhecimento que,sabemos, liberta.
    E uma das lições que mais tenho aprendido aqui é que nada é absoluto, pessoas não são iguais, metabolismos reagem de forma diferente, e que
    corpos saudáveis – mas, principalmente, mentes e “mentalidades” saudáveis – não se constróem da noite para o dia.
    E que sim, podemos mudar, nossos conceitos, estilo de vida, com diálogo e informação.
    Como estarei daqui a algumas décadas, não sei, até porque já vivi “alguns invernos”...
    Mas sei que o que me traz aqui, procurando aprender com "quem sabe",como você, é essa busca por chegar lá saudável, equilibrada e feliz.
    Muito obrigada, e sucesso para você e seus alunos.

    ResponderExcluir
  88. Amém!!

    Em 18/06/13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  89. Clarissa: 1) Eu indicaria você como "ghost writer" do Tim Ferriss [Rs] - ao contrário dele, você escreve e descreve a sua experiência de forma cristalina, concisa, elegante e, principalmente, educada; 2) Quanto ao Dr. Souto... "idem", "bis in idem!"; 3) abs a você e todas as bençãos ao Autor deste Blog...

    ResponderExcluir
  90. Parabéns doutor pelo excelente blog!! não sei se o senhor conhece, mas o crossfit indica a dieta paleo e a dieta da zona como "oficiais" da modalidade, como pratico esse esporte resolvi começar pela dieta da zona e hoje faço uma dieta paleo / low carb, e hoje posso dizer que foi a melhor coisa que eu fiz! obrigado por me ajudar nessa caminhada em busca de saúde e performance. Com a ajuda dos seus posts percebi que o carboidrato é importante para quem treina com exercícios anaeróbicos e intensos. Eu tenho algumas duvidas e gostaria de saber se poderia me ajudar:
    Esse esporte que tanto gosto (crossfit), em seus treinos duram em media de 3 minutos a 20 minutos com uma intensidade elevadíssima com exercícios compostos, misturando exercícios ginásticos, aeróbicos e de levantamento de peso olímpico, tanto para perder peso como para ganhar seria importante o consumo de carboidratos para a máxima performance? apenas no pré-treino ou no pós treino? e seria melhor carboidratos simples ou compostos e com que carga glicêmica?
    também sou seguidor de dietas com jejum intermitente onde ficaria 16h a 20h e, jejum e comeria no resto do tempo, sendo o treinamento geralmente realizado em jejum, nesse caso como funcionaria as mesmas perguntas?
    Desculpe pelas inúmeras perguntas, mas li alguns artigos do Robb Wolf e ele acredita que dieta low carb e exercícios de alta intensidade não combinam, então resolvi perguntar para o senhor que me parece ser um grande entendedor da saúde humana.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  91. Obrigado pela ajuda! Ok, então aguardo opinião do Felipe Piacesi. Mas para encher os tanques com glicogênio, seria uma possibilidade usa-los como pós treino com (100 gramas de carb?) e assim enchendo meus estoque de glicogênio e apenas comendo legumes como carbo no resto do dia, para assim poder treinar no dia seguinte em jejum com algum glicogênio estocado? A Claudia Vilaça em um dos comentá/rios desse artigo afirma que seria possível treinar INTENSAMENTE sem a ingestão de carbo pré ou pós treino, apenas com ingestão de gordura (no caso dela oléo de coco), isso seria de organismo para organismo, ou pela quantidade de gordura ingerida nas refeições o corpo tiraria moléculas de ATP para a geração de energia?

    ResponderExcluir
  92. Olá, Hugo!
    Essa não é bem minha área, mas acho a afirmação do Dr. Souto na resposta que deu para mim, perfeita: "exercícios em níveis não naturais demandam alimentação não natural". Então, para performance, acho interessante a ingestão de carbs como pré-treino. Sobre quantidades, não faço idéia!! hehe Sobre treinar em jejum, não vejo qualquer necessidade de forçar o jejum para se treinar neste estado. Se for o caso de estar em um jejum intermitente, ok, mas parar de comer para treinar, não. Postei um artigo mostrando uns estudos comparativos sobre o tema. Pelo relato da Claudia Vilaça, é possível treinar intensamente sem carbs. Penso que muitos mamíferos estritamente carnívoros, como guepardos e leões, em certas épocas precisem de seu máximo esforço para caçar, mesmo há dias sem comer e a anos sem carbs! hehe
    Exercícios como crossfit, musculação, são atividades físicas não naturais. Os movimentos da musculação são naturais, empurrar, puxar, agachar... Mas voltar com o peso e empurra-lo novamente, não é! hehe O que não quer dizer que não é saudável. O treinamento resistido tem benefícios sistematicamente comprovados em humanos e animais há décadas. Então penso que algumas coisas que o homem inventou em termos alimentação e atividades físicas, podem ser boas.
    Ah, antes que me esqueça. Recomendo o Crossfit para os que não se adaptam a musculação e ergometria intervalada intensa.
    Abraços
    Felipe

    ResponderExcluir
  93. muito obrigado!! me esclareceram MUITO!! obrigado pela paciência e por transmitirem seus conhecimentos :D

    ResponderExcluir
  94. Dr. Souto, sou corredor desde 2008 e estou há 3 semanas seguindo a dieta low-carb limitando os carbs entre 30 e 40g/dia. Ciente da queda de rendimento que ocorreria na transição de high-carb para low carb/high-fat após ler outro post de seu ótimo blog, reduzi minhas atividades tanto em volume (baixei de 30km para 15km semanais) quanto em intensidade (aumentei meu ritmo médio de 5min40seg/km para 6min40seg/km) com o objetivo de não perder condicionamento físico até que eu esteja ceto-adaptado.
    Passado esse período de 3 semanas, sinto que, do ponto de vista muscular, a fadiga acentuada que sentia na primeira semana já melhorou bastante. Termino minhas corridas sem dores.
    Porém, do ponto de vista respiratório, a sensação de fadiga acentuada de agora continua parecida com a da primeira semana. Ou seja, falta de fôlego na parte final da corrida, sensação essa que não tinha antes de iniciar a dieta low-carb.
    Assim, minhas perguntas são:
    Essa falta de fôlego que persiste pode ser sinal de que ainda não estou ceto-adaptado e meu corpo ainda não tem usado a gordura como fonte de energia de maneira eficiente?
    A ingestão extra de carbs somente nos dias em que irei correr (p.ex.: comer carbs extra no almoço e correr no final da tarde) ajudariam a melhorar essa situação que relatei?
    Essa ingestão extra de carbs atrapalharia na minha ceto-adaptação?
    Desde agradeço sua atenção, Dr.!
    Um abraço e parabéns pelo seu excelente trabalho!

    ResponderExcluir
  95. Prezado, não ficou claro seu objetivo para mim: vc quer perder peso, melhorar sua performance na corrida ou tratar algum problema de saúde (síndrome metabólica, por exemplo)?
    Em 06/07/2013 22:54, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  96. Meu objetivo agora é melhorar minha performance, Dr.
    A perda de peso tem ocorrido desde o início da dieta em ritmo constante. Já perdi 3kg e acredito que logo devo perder mais 2kg e atingir minha meta inicial.

    ResponderExcluir
  97. Neste caso, não vejo porque não aumentar um pouco os carbs (páleo-carbs) antes do treino. Gostaria de ouvir a opinião do Felipe Piacesi e do Carlos Salerno Gonçalves sobre isso.
    Em 07/07/2013 10:53, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  98. Carlos Salerno Gonçalves8 de julho de 2013 16:17

    Olá Alexandre, Dr. Souto e amigos do blog...essa questão sobre CHO e exercícios é uma questão muito interessante...


    o Alexandre falou que gostaria de melhorar seu desempenho...para uma resposta completa seria legal saber qual a prova em questão e os detalhes de seu treinamento...mesmo sem essas informações ai vai uma opinião sobre o tema...


    Pelo que tenho estudado no últimos anos e testado comigo mesmo nas ultimas duas provas (10km e 8km) acredito que a ingestão de CHO não seja fundamental para o desempenho...minha resposta será em relação a ingestão de CHO antes do treino (ou prova)...


    Considerando as questões estudadas e minha experiência prática, estando uma pessoa ceto-adaptada, ela será capaz de ter um bom desempenho mesmo que não ingira CHO antes do treinamento/prova de corrida...isso acontece pois o organismo estará adaptado para usar gordura como fonte de energia e mesmo com níveis reduzidos de CHO seu desempenho não diminuirá...essa diminuição de desempenho é conhecida como "quebrar", que significa que quando o CHO muscular é reduzido ela entra em fadiga pois não consegue usar a as gorduras com fonte de energia...


    Alexandre para ajudar vou lhe descrever uma experiência...participei de duas provas nos últimos 3 meses...uma de 10km e outra de 8km...nas duas cuidei para ingerir menos de 50g de CHO durante a semana anterior...nos sábado antes da prova não ingeri CHO...ao acordar não comi nada...30 minutos antes da prova tomei 20g de whey com 100ml de água e 100ml de leite integral (ou seja menos de 5g CHO)...resultado 10km em 39min e 8km em 31min...não podemos considerar esse desempenho como fantástico ou digno de pelotões de elite...porém para uma pessoa de 42 anos que em seus treinamentos corre no máximo 15km/sem...podemos considerar muito bom...


    Dessa forma acredito que no seu caso o desempenho não vai depender só da ingestão de CHO...vai depender também da metodologia de treinamento...
    Não vejo problema em aumentar um pouco o CHO antes do treino...como disse Dr. Souto, mas também acredito que isso não será o maior determinante do desempenho...existem outros fatores como:
    1) Metodologia de treinamento
    2) Períodos de recuperação
    3) Ceto-adapatação (eu acredito em pelo menos 4 semanas com a alimentação bem controlada) uma ingestão que supere a casa de 120g de proteínas por dia pode atrapalhar essa adaptação


    Espero que eu tenha ajudado...havendo mais dúvidas estou a disposição...pode me achar no treinamentocarlinhos@gmail.com ou no blog carlinhostreinamento.blogspot.com.br...minhas próximas postagens serão sobre alimentação e assim que possível vou falar do tema CHO e exercício...só estou estudando um pouco mais!


    Abraços

    ResponderExcluir
  99. Carlos, meu alvo na corrida é próximo ao seu, quando o assunto é distância. Meu objetivo é melhorar o desempenho em provas de 5km e 10km. E meus melhores tempos são de 27'50" para 5km e de 58'40" para 10km, tempos esses obtidos antes do início da dieta low-carb.

    ResponderExcluir
  100. Carlos Salerno Gonçalves9 de julho de 2013 07:40

    Ok...fico no aguardo! Quanto a fascite plantar...outro ponto em comum...tive que lidar com uma em 2010...solução...uma abordagem evolutiva da técnica de corrida...corremos muito antes da invenção dos modernos calçados...a minha desapareceu após trocar a técnica de corrida...hoje sou capaz de correr descalço e uso tênis sem absorção de impacto com diferença entre a altura do tornozelo e a ponta do pé variando entre 0-4mm...os tênis tradicionais apresentam pelo menos 12mm...abraços

    ResponderExcluir
  101. Muito bom mesmo. Conhecimento é tudo ! Parabéns e obrigada. Valew !

    ResponderExcluir
  102. Regina Lucia Santiago12 de julho de 2013 21:07

    Sou magra, pratico exercícios regularmente (3 x por semana, 40 minutos na esteira, 50 minutos de musculação, 20 minutos de bicicleta e 1 hora de alongamento), nunca tive pressão alta (12 x 8), triglicerídeo 134, glicemia 76, mas um colesterol elevadíssimo, 296; no momento não estou tomando remédios. Os resultados acima são de meu último exame q levarei para o médico. Informo q tomei o Crestor e um outro q não me lembro do nome agora e tive problemas seríssimos de fibromialgia (nunca tive) e síndrome das pernas inquietas. O que fazer?

    ResponderExcluir
  103. Regiana, vc não mencionou o HDL. Ele é o mais importante...

    ResponderExcluir
  104. Claudia, tu indica algum site para leitura? Ou livro? Ou material ilustrado?

    Eu chego na academia e me sinto perdida.

    ResponderExcluir
  105. Dr. Souto e Carlinhos, depois de pouco mais de 4 semanas seguindo a dieta low carb, corri uma prova de 10km na manhã de hoje e obtive rendimento semelhante ao que tinha no período pré-low carb, inclusive tendo feito os últimos 5km em um tempo mais baixo que nos primeiros 5km. Além disso, fiz essa prova em jejum, sem sentir nenhum mal-estar durante ou após sua conclusão, me abastecendo apenas de água durante o percurso. E não fiz nenhuma alimentação especial durante a semana visando a corrida.
    Acredito que tal experiência pode ajudar de alguma maneira atletas amadores como eu que tenham algum receio de adotar a vida low carb por acreditar nos conceitos tão arraigados na cabeça daqueles envolvidos na área esportiva nos dias de hoje ("correr em jejum? Nem pensar!", "Sem comer carboidratos, vc "quebrará" durante a prova", etc.).
    Muito obrigado por todo o suporte que vcs tem nos dado para mudar nosso estilo de vida! Um abraço!

    ResponderExcluir
  106. Incrível, não??


    Em 21 de julho de 2013 19:11, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  107. Concordo, Dr! A satisfação que tenho em viver com low carb não é só com meu bem estar físico. É também poder me desvencilhar de idéias ultrapassadas que me privaram inutilmente muitas coisas em minha vida. Poder comer com satisfação e não precisar passar fome, além de praticar esportes livre de vários "dogmas" não tem preço.

    ResponderExcluir
  108. Carlos Salerno Gonçalves22 de julho de 2013 16:28

    Legal!!! Parabéns...é bom ver que o que temos estudado e praticado funciona com outras pessoas...Continue comendo bem e treinando...caso tenha dúvidas sobre treinamento...estou a disposição!

    ResponderExcluir
  109. Andresa Marcelina Marques23 de julho de 2013 23:24

    Felipe Piacesi
    A minha dúvida é. Só tenho tempo de fazer musculação ou HIIT, no máximo 3 vezes por semana. O meu foco é emagrecimento. Qual dos dois seria melhor pra o meu objetivo?

    ResponderExcluir
  110. Felipe, eu estava correndo 10 km 3 vezes por semana além de fazer musculação 4x por semana, mas estava ficando completamente esgotada. Fico aliviada ao ler essa notícia. Qual é a quantidade média p ser saudável de exercícios que devem ser feitos por semana? e quanto desses aerobicos e qto musculação? Obrigada

    ResponderExcluir
  111. Pois é, Bruna. Fatalmente você desenvolveria problemas articulares em decorrência dessa prática/desgaste. Particularmente, faço musculação 3 x por semana, em sessões que duram entre 15 e 30 minutos e jogo futebol por pouco menos de uma hora, que seria algo semelhante a um intervalado de alta intensidade (mas muito mais arriscado!!!). Já leu este post? http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/07/exercicio-e-emagrecimento.html
    Qualquer dúvida, pode me contactar por e-mail.
    Felipe
    piacesi85@gmail.com

    ResponderExcluir
  112. Oi estou fazendo a dieta low carb a 10 dias e estou muito feliz com os resultados pois em 7 dias perdi 4 kilos,mas estou com dificuldades com o que comer além de carnes,então procurei receitas para a dieta porém muitas delas se usa farelo de aveia de soja e amido de milho e estou em duvida se posso ou não adicionar isso na dieta.obrigada

    ResponderExcluir
  113. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/como-devo-comer-comida-de-verdade.html

    No início, como esta dieta não é Atkins, não há receitinhas para fazer alimentos parecidos com os habituais, como pães, bolos, rocambole etc etc etc etc . Logo, pratos para saladas + carnes + omeletes + etc vão da sua imaginação.

    Há vários blog gringos que tem mais receitas.

    Em português, este abaixo, escrito por uma sueca, é o que me vem à cabeça agora.

    http://maisgorduramenoscarboidratos.com/

    ResponderExcluir
  114. Andreia Rodrigues4 de agosto de 2013 11:05

    Olá Dr.Souto, uma ajudinha prfvr no meu caso: 6:00am levanto
    tomo meu café, 7:00am faço aeróbico de media/alta intensidade em dias
    alternados na semana com duração de 40 minutos intercalando com musculação,
    tenho muita duvida no que comer de pré treino. Antes quando estava muito bem
    condicionada eu comia apenas batata doce(adoro) e ia malhar com uma hora de aeróbico
    intenso o que me segurava muuuito bem durante
    a atividade, mas agora que estou num ritmo mais fraco pq fiquei dois meses
    parada adoecida (aliás foi um ano cheio dessas paradas com amidalites ,bronquites,
    sinusites , um deus nos acuda, kd minha imunologia? Tomei muuuita amoxicilina,
    benzetacil ,berotec e muitas medicações que n lembro o nome )... agora com a
    saúde mais estável ,voltando aos poucos a minha rotina diária de exercicíos/estudos/trabalho/estudos,
    n sei o que comer de cho corretamente!!
    Recomendam bananas amassadas com aveia , só penso que é uma má ideia
    devido a quantidade de açúcar e o problema da aveia que contém glúten o que
    pode me atrapalhar a perder o peso que preciso... somente ovos mexidos n sustenta
    de maneira nenhuma... ao total fico de
    uma e meia a no max duas horas numa academia 6x n semana. Em seguida vou direto
    pra faculdade onde tomo o meu pós com way + leite de amêndoas(ou de outra
    castanha) e mais um outro lanchinho de damascos (fruta seca :/ ) isso porque dizem
    que o pós tem de ser com IG alto ao contrario do pré, eu só sei que depois de
    academia eu preciso de cho que me dê sustância rapidamente pra aguentar as
    aulas sem problemas, mas n sei se a informação é certa e se é a melhor maneira
    de suprir minha necessidade energética no momento sem prejudicar mais na
    frente... Depois do almoço (normalmente frango com brócolis ) vou direto pro
    trabalho, com uma jornada de seis horas com ritmo pesado porque sou
    massoterapeuta .Nessa hora eu invento porque já n sei mais o que comer as vezes
    é aquelas coalhadas que encontro em potinhos no mercado(sem adição de açúcar)
    com castanhas e uma fruta que costuma ser a danada da banana pq ela me traz
    saciedade mais rápido pra gastar no trabalho, como mais castanhas !!! De noite,
    em casa na janta como uma carne ou omelete com bacon e algum legume junto,
    estudo até meia noite ou mais, normalmente sinto uma fominha tbm e tomo outro pote de coalhada pra encerrar o
    dia. Eu preciso perder peso, restabelecer minha saúde de vez e de muita ENERGIA
    durante o dia porque é puxado! Mas acho que devo estar fazendo alguma coisa
    errada porque falta energia pra dar conta do dia. Finais de semana eu libero
    algum doce mas só quando to com muuuita carência mesmo, uma rapadura, doce em
    calda , alguma bebida alcoólica, mas muito pouco e poucas vezes. Onde possivelmente
    estou errando ? E o que posso fazer pra melhorar esse meu quadro Dr? Se puder
    me ajudar muito grata!

    Abraços

    ResponderExcluir
  115. Vc lê inglês?
    Em 04/08/2013 11:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  116. Andreia Rodrigues4 de agosto de 2013 14:26

    Não, infelizmente...

    ResponderExcluir
  117. Andreia Rodrigues4 de agosto de 2013 14:36

    Não,infelizmente.

    ResponderExcluir
  118. Me parece claro q vc está comendo muito açúcar (banana, aveia, batata doce, frutas secas...) e pouca, muito pouca gordura (frango com brócolis???). Precisa de 2 a 4 semanas de low carb de verdade e High fat de verdade para que seu corpo deixe de pedir carbs e passe a queimar gordura como fonte de energia. Neste período de adaptação, vai faltar energia para a academia - basta ir menos vezes. Além do que, veja a postagem sobre exercício e considere q aeróbico só lhe dá fome.
    Em 04/08/2013 11:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  119. Andreia Rodrigues4 de agosto de 2013 16:04

    Vix tudo errado né! estou procurando um bom profissional da área low carb aqui em Brasília pra me ajudar nesse início , é tudo muito novo pra mim . O aeróbico virou vicio mesmo, apesar da fome a atividade física é o que me relaxa a mente, n encontrei nada parecido ainda rs apesar da fome que realmente aperta... irei pesquisar mais !! brigadão Dr!!


    obs: frito o peito de frango na manteiga ou óleo de coco e coloco o brócolis (já cozido no vapor) junto na panela pra pegar sabor da manteiga , errado tbm rs?

    ResponderExcluir
  120. Olá Dr
    Sabe estava lendo sua matéria
    Veja o meu caso
    Souc corredora
    Peso 51kg
    E tenho 14% de gordura- 7dobras
    Nao consigo perder peso de jeito algum
    Queria ficar leve com 48 pra correr mais
    Faço dieta côn. Nutri esportiva
    E claro como hidratos
    Nao muito mas como
    Tenho maratona agora em setembro
    O Dr acha possível essa dieta para a minha finalidade que é perder 3 kilos !
    Acho que de gordura esta bom! Queria perder peso na balança mesmo
    Ficar magrela! Estou encorpada! E pesada pra correr

    ResponderExcluir
  121. Olá Mariana,


    Se vc acha que o percentual de gordura está bom, de ONDE vc vai perder peso?? Que perder massa magra?

    ResponderExcluir
  122. Low carb páleo não emagrece pessoas magras, emagrece pessoas doentes (nas quais a gordura é sintomas de síndrome metabólica, resistência à insulina, etc). Para emagrecer pessoas magras, é preciso fazê-las passar fome. Mas eu suponho que vc possa fazer isso com mais facilidade comendo menos carbs.

    Em 23 de agosto de 2013 08:34, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  123. Fantástico o debate!!!!!!!!!!

    estou a uma semana numa dieta low carb paleo e já sindo uma baita diferença...seja para o bem (calça antes apertada está quase folgada), sono bom, menos sensação de fome, etc...

    Contudo tenho passado momentos ruins nos treinos..

    Sou remador de canoa havaiana, que mal comparando, é como se fosse uma corrida de 800mts (muito embora as provas sejam de 6 km até 30km...) pois é necessário muita resistência e velocidade...ou seja, dor e sofrimento o tempo todo. O pior é que os praticantes gostam...a endorfina depois de um treino de tiros ou um intervalado onde sai todo mundo quase vendo "teto preto" é indescritível kkkkk

    Pois bem...fiz uma treino intervalado essa semana sem quase nenhum carboidrato...em suma: fiquei pra trás, além de me sentir fraco e sem muita energia.

    Como resolver isso? praticamente só tenho um ou dois dias em OFF, o resto é remando ou correndo ou pegando peso.

    Como proceder? em geral os treinos iniciam antes das 6 da manhã...as 5:30 mando um carboidrato pra dentro? um inhame, uma batata, um suco de laranja...? ou já inicio na noite anterior?

    e no dia das competições, vale comer mais carboidratos (paleos) ainda?

    preciso de ajuda!

    ResponderExcluir
  124. José Allan Domingues Marques30 de agosto de 2013 14:22

    Dr. Souto, estou seguindo LCHF há quase duas semanas. Hoje tomei um nespresso com creme de leite batido, comi 3 morangos e fui me exercitar, logo após acordar. Quando terminei os exercícios, ao retornar dirigindo para o casa, me senti muito mal, pensei que ia desmaiar. Parei e comprei um chocolate baton; em alguns minutos melhorei. Tem alguma dica para evitar essa sensação novamente? Alguma dica para comer algo no café da manhã antes de me exercitar?

    ResponderExcluir
  125. A dica é não se exercitar de forma mais forte até estar completamente adaptado (se sentindo bem, melhor até do que antes), 2 a 4 semanas.


    Em 30 de agosto de 2013 14:22, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  126. José Allan Domingues Marques30 de agosto de 2013 16:15

    Dr. Souto, o problema é que estou me preparando para um TAF de concurso público que ocorrerá em breve e não posso parar os treinos durante a cetoadaptação. Também não gostaria de interromper a dieta LCHF. Posso ingerir algum carbo antes ou depois dos exercícios para evitar o que ocorreu hoje? Caso possa, que carbo seria mais indicado no café da manhã antes dos treinos? Isso prejudicará minha cetoadaptação? (meus treinos são às 7h00, seg, qua e sex).

    ResponderExcluir
  127. José Allan Domingues Marques31 de agosto de 2013 22:23

    Dr. Souto, durante o período de cetoadaptação eu poderia comer uma banana antes dos treinos nas segundas, quartas e sextas (com o objetivo de evitar me sentir como ao final do treino passado) sem prejudicar a cetoadaptação?

    ResponderExcluir
  128. Eu comeria apenas APÓS o treino, e mesmo assim, no máximo 1h após (o período em que não precisa de insulina para o músculo usar a glicose).

    Em 31 de agosto de 2013 22:23, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  129. José Allan Domingues Marques1 de setembro de 2013 15:09

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  130. Olá dr. me interesso muito pela alimentação o mais natural possivel( o que se torna cada vez mais dificil, tudo ta contaminado), e acho o seu blog simplesmente espetacular.
    porém acho que não tem tanto conteudo voltados aos NEYMAR's, que é o meu caso.
    nao sei se já tem, mas seria interessante um post voltado pra pessoas que sao muito magros e querem ganhar pesando usando alimentos da paleo diet.


    minha maior duvida é sobre quais fonte de carboidratos usar, penso que seja só batata doce e aipim(tem problema em fazer grande uso destes alimentos ? 1kg de batata doce/dia 700g de aipim/dia) estou disposta a largar todo o arroz e feijao e aveia e passar a comer só batata doce e aipim.


    minha dieta basicamente seria:


    200 gramas alcatra 60g proteina
    10 ovos 60g proteina
    300g filé peito de frango 75g de proteina
    1kg batata doce 160g de carboidrato
    500g de aipim 150g de carboidrato
    10ml de oleo de coco extra virgem
    25ml azeite de olive prensado frio
    Brocolis e cenoura e frutas variadas


    basicamente daria um total de 300g de carbo/200g de proteina e cerca de 3500 kcal, eu tenho 1,90 e 76kg e pratico musculação


    tudo isso dividido em 5 refeições diárias




    esse numero de carboidratos está exagerado ? devo retirar um pouco ? pouco acrescentar ainda mais sem problema ?


    o problema em retirar um pouco desses carboidratos é que tambem retiraria preciosas calorias.

    ResponderExcluir
  131. Júlio, vc não tem que restringir carboidratos, apenas grãos, açúcar e óleos extraídos de sementes. Pode acrescentar na sua lista o arroz branco (não integral - o BRANCO mesmo, que é um amido não-tóxico), e também mais frutas - umas 3 por dia, até mesmo bananas.


    Em 9 de setembro de 2013 14:02, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  132. Bruno Alberti Strapasson20 de setembro de 2013 12:45

    É, Felipe, concordo com você em tudo o que diz, mas, como Profissional de Educação Física, acredito que desde que estes pormenores posturais dos quais você precisamente comentou sejam tratados e o indivíduo esteja bem adaptado, os exercícios técnicos podem sim servir para corrigir padrões de passada, contrações isométricas voluntárias dos ísquios, por exemplo, para estabilização e controle da oscilação vertical durante a corrida. Quanto menos se oscila, menor é o gasto e os desgastes articulares. Sou triatleta e corredor de longa (endurance) e estudo corrida já há alguns anos. A questão é clara: corrida só emagrece se for curta e intensa, e logicamente, bem orientada e periodizada, e ainda com sessões de musculação para que a musculatura sirva de profilaxia para a realização segura das atividades do dia a dia, sejam elas quais forem. A prática sistemática e despretensiosa de qualquer modalidade gera sim um desequilíbrio, e muitas vezes relacionado à padrões de dominância. Ou seja, como se treina para correr, por exemplo, 120 km, feito que realizarei em outubro deste ano? Não há como. A solução é preparar a musculatura, comprar um tênis confortável e resistente, ter um mínimo de condicionamento cardiorrespiratório e treinar muita técnica e, lógico, a mente. Agora se me perguntarem se isso faz bem para a saúde, com absoluta certeza e rapidez direi que NÃO. E não indico isso para nenhum dos meus alunos. Enfim, parabéns pelo comentário e discussão saudáveis com a Clarissa França (Clarissa, parabéns para você também). Entendo o lado dos dois. Mas este tipo de discussão tem vários viéses e não haverá um certo e outro errado, mas, sim, opiniões e maneiras corretas e seguras de se trabalhar. O problema é que faltam profissionais que atuem neste sentido de orientação segura, profissional que dê opções aos alunos, explicando cada faceta de análise de sua escolha e o que seria mais sensato de se realizar.
    Valeu.
    No mais, paz!

    ResponderExcluir
  133. Meu pai tem Gota amais ou menos 20 anos Dr. Souto vc recomendaria esse estilo de vida a ele?

    ResponderExcluir
  134. Sim.

    http://www.fourhourworkweek.com/blog/2009/10/05/gout/
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 06/10/2013 14:13, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  135. Antonio Themoteo Varela23 de outubro de 2013 14:54

    Muito Bom! Quase me acabo de rir com a história dos esquimós não existirem...kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  136. Alexandre de Oliveira3 de novembro de 2013 14:41

    sugestões do q comer durante exercícios d longa duração para evitar a "batida no muro" - agradecidíssimo pela resposta e por tudo q já foi escrito nesse santo blog.

    ResponderExcluir
  137. http://www.bengreenfieldfitness.com

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 03/11/2013 14:41, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  138. Caramba, que aula! Parabéns professor.

    ResponderExcluir
  139. Dr., o meu caso também é do Neymar mas eu estou confusa em como equilibrar a dieta.

    Se eu não restringir os carboidratos bons, o açúcar que vier deles não pode interferir na minha saúde, por exemplo, em não resolver a Síndrome dos Ovários Micropolicísticos, entre outras coisas, ou esses problemas advém de carboidratos ruins?

    Outra coisa, eu sei que esse estilo de vida não prega uma dieta de proteínas, mas como eu não consigo comer carnes todos os dias (e ovos me dão alergia), fico com receio de estar comendo pouca proteína. Existe um mínimo que eu devo comer por dia ou semana?


    Obrigada!

    ResponderExcluir
  140. Olá Mari,


    Quantidade de proteína diária é em torno de 2g por kg de peso ideal (peso que vc quer ter).

    ResponderExcluir
  141. Preazdo Dr. Souto,
    Inicialmente obrigada pelo seu blog, como diriamos aqui na Argentina "no tiene desperdicios". Minha duvida eh respeito a LCHF como estilo de vida em uma pessoa magra. Nesse caso, pode ser a dieta LCHF prejudicial de alguma forma? Me refiro a uma pessoa magra de bom nivel de gordura e bons indicadores em sangue. Essa pessoa ao comer primordialmente FAT estaria carente de energia de alguma forma? Com uma vida normal, comendo LCHF ela poderia perder massa magra? Seria recomendado para essa pessoa ingerir Carbs Paleo? E, ultimo, ao se ingerir Carbs Paleo e continuar com o High Fat corre risco de subir de peso?
    Realmente muito obrigada. Somos varios aqui em BsAs lendo o seu mail, estou passando para meus amigos e eles amam.
    Seria recomendavel a dieta LCHF para criancas? Mesmo sabendo que em festinhas e na escola comem carbs ruins, ou corre risco por ser High Fat?
    Realmente obrigada.
    Luciana

    ResponderExcluir
  142. Olá Luciana,

    quem é magro não precisa restringir os carbs. Faça paleo sem medo das boas gorduras, sem restringir frutas e tubérculos.

    O que poderia ser melhor do que eliminar produtos industrializados, refinados e açúcar da alimentação de seu filho? E qual alimentação seria melhor do que paleo? Foi com ela que evoluímos! Nada melhor do que comida de verdade!

    Essa postagem para grávidas vale também para crianças: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/prezado-dr-souto-dieta-e-gravidez.html

    Explore mais o blog! A caixa de busca do blogger está com problemas. Para pesquisar o Blog, vá no google, coloque sua palavra-chave, seguida de "site:lowcarb-paleo.blogspot.com" (sem as aspas)

    Alguns comentários do Dr. Souto:

    "eu não faria low carb para uma criança normal não obesa. Mas tentaria fazer o mais páleo possível. Ou seja, tentar adoçar o mínimo possível, beber água para matar a sede, evitar sucos de fruta, mas comer frutas sem restrição.
    Evitar adoçantes artificiais (ninguém sabe seus efeitos no longo prazo). Estévia deve ser mais seguro do que o resto, mas eu acho que ela pode muito bem beber uma laranjada de laranja espremida, diluída com água - ao invés de sucos de caixinha (mais açúcar do que refri) ou mesmo de suco de laranja puro - para não acostumar o paladar ao açúcar - com o tempo ela achará as coisas doces demais, e o próprio paladar controlará as coisas. "

    "Eu também não me preocuparia com eventuais escapadas em festinhas. Mas manteria a CASA glúten-free."

    "É evidente que uma dieta de estilo paleolítico é saudável para crianças. E o é por definição: qual a melhor dieta para um animal, senão aquela com a qual a espécie evoluiu? Se lhe questionarem, não fale que é uma dieta low carb, ou "dieta da proteína", etc. Pense assim:

    - Alguém (instruído) acha que seria errado diminuir o açúcar da dieta das crianças?

    - Alguém seria contra diminuir salgadinhos/bolachas recheadas e trocar por mais frutas e alimentos naturais?

    - Ao invés de falar com cortar grãos, mude o argumento para "alguém seria contra reduzir os bolos, pães, tortas e guloseimas em geral e trocá-los por alimentos mais saudáveis, como frutas, carnes, ovos e vegetais?"

    "Para crianças, vale o princípio 80/20 - com 80% de dieta bem feita, não serão os 20% de furos na dieta (aniversários, finais de semana) que colocarão tudo a perder.

    Não vejo mal algum (no caso de crianças) em uns pasteis, pão de queijos e batatinhas de vez em quando - mas não como base da alimentação."

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2011/12/por-que-com-mesma-dieta-uns-engordam-e.html#comment-1018289103

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/03/paladar-e-evolucao.html


    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/04/prezado-dr-souto-me-disseram-que-faz-mal.html

    ResponderExcluir
  143. Obrigada Patricia e desculpe meu portugues enferrujado.
    Te incomod com duas perguntas mais. Uma pessoa que esta cetoadaptada mas eh magra e nao consome Carbs, mas sim FAT boas, utiliza esas fats que consome para sua energia ao fazer esporte, ou seria melhor ela somar Paleo Carb?


    Segunda e ultima e nao incomodo mais. Uma pessoa que come Paleo Carbs tambem pode fazer uso extenso de creme de leite, banha, carnes gordas sem medo a engordar? (claro que sem comer como um louco) Mas o bolinho mais facil do mundo + Paleo Carbs estaria ok?


    Genial o blog e realmente SUPER boas las recomendaciones para criancas. Tenho duas pequenas e me preocupo muito pela sua nutricao. Vejo muito viciado em azucar e isso e preocupante.


    Abrazo!

    ResponderExcluir
  144. Não consumir carbs é praticamente impossível! Veja, qualquer hortaliça, fruta tem algum carb. Se a pessoa é magra não vejo nenhum problema em consumir paleo carbs. Se começar a engordar, retire - simples assim!

    Sobre exercícios físicos sem carbs leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    O livro TNT tem boas orientações sobre exercícios físicos e alimentação. Sobre exercícios físicos leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    Toda alimentação paleo é ok! Não creio que, com paleo, alguém consiga engordar sem 'forçar' comer além da fome. Mas cada organismo é único! O negócio é a experimentação. Tem gente que descobriu que o que impedia o emagrecimento era o creme de leite. Outros falam dos queijos. Cada um precisa entender o funcionamento do próprio corpo.

    ResponderExcluir
  145. Patricia, uma vez mais obrigada. Realmente revolucionário tudo. A minha
    principal inquietude é respeito as gorduras. Muita gente diz que se fizer Paleo
    ou se comer Gorduras (carne gorda, creme) tem que ser estrito senão você
    engorda e faz mal a saúde. O que busco é entender se isso é ou nao real (Pelo
    que leio acho que não). Uma pessoa que nao faz paleo mas que começa a comer
    mais gorduras (das boas, saturadas) esta muito melhor que uma pessoa que nao
    faz paelo mas que come fat-free/carnes magras?

    Aqui na Argentina, terra da carne (jaja) tem-se o mito que se comer gordura
    tem que ser suuuper firme na dieta, caso contrario melhor continuar com carnes
    magras e sem creme para não correr o risco de engordar ou fazer mal.

    Basicamente é esse mito que quero analisar junto a vocês se possível. Logo
    de ler tudo o que indicaria a um familiar Não Paleo que NAO precisa perder
    peso, esta ok com seu corpo seria: Coma gordura, é o mais importante, trate de não
    comer carbs industriais/glúten e consuma carnes gordas (não petinho de frango
    seco). Seria correto isso ou a pessoa viraria uma bola/prejudicaria sua saúde?



    Un millon de gracias !!!!

    ResponderExcluir
  146. é isso aí moça! "Coma gordura, é o mais importante, trate de não comer carbs industriais/glúten e consuma carnes gordas (não petinho de frango seco). " ;)

    ResponderExcluir
  147. Oi Kethlyn.
    Eu também perdi apenas 1,5kg em 15 dias enquanto minha filha perdeu 7kg. A diferença, além da idade (ela tem 20 anos e eu 50) é que ela precisa perder 30 kg e eu apenas 5kg). Como eu estou próxima do meu peso adequado é mais difícil para mim perder peso do que para ela. Mas eu já fiquei muito feliz com o resultado. Devagar e sempre.

    ResponderExcluir
  148. Na mosca

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 23/01/2014 01:30, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  149. Dr. Souto, uma dúvida sobre o caso "Neymar" citado acima. Tenho feito a "propaganda" sobre a dieta, e muitos de meus amigos tem se interessado. Mas alguns deles são "magros de ruim", todos com menos de 10% de gordura corporal, isso comendo bastante carb como arroz, feijão, pão e doces, e de exercício só 1-2h de futebol no fds. As dúvidas são:
    -Continuando magro de ruim, e ingerindo MUITOS carbs (não considerando o trigo, cujos malefícios sei que vão além da quantidade de carboidrato), há risco de desenvolvimento futuro de diabetes, hipertensão ou infarto por exemplo?
    -Caso busquem se alimentar de maneira mais "paleo", com mais vegetais e carnes e menos alimentos processados, quais carbs são "seguros"? Batata doce, mandioca e frutas sei que são, mas que outras opções poderiam incluir? Arroz? Feijão (cozido após ficar de molho)? Batata normal? Quão ruim é o açúcar? (questiono pq eu consumo uma boa quantidade de adoçante, e por serem tão magros não vejo sentido em recomendar o mesmo pra eles). Eles não querem emagrecer de jeito nenhum, por isso querem continuar com bastante carboidrato.
    -Se eles não fizerem academia, mas fizerem HIIT 2 ou 3 vezes por semana, haverá algum ganho de massa magra ou só vai torná-los mais magros (se é que é possível rs)?. Um começou essa semana e finalmente conseguiu engordar quase 3kg, achou que foi por causa do HIIT, mas os outros queriam saber o efeito mais a médio prazo disso. É claro que não esperam um ganho de massa significativo, pois isso viria pela musculação mesmo, a pergunta é mais se eles deveriam ou não incluir essa atividade, já que não querem perder peso de modo algum.

    Outra dúvida é se uma pessoa, "magra de ruim" ou não, continua ingerindo muitos carbs, mas passa a comer coisas gordurosas (bacon, creme de leite, torresmo, cortes gordos, etc) pq outra pessoa da casa está na LCHF, se isso vai ser benéfico ou prejudicial a saúde dela? A troca de óleo vegetal por banha com certeza será benéfica, e a possível ingestão de mais vegetais também, mas e esse aumento de gordura SEM restrição de carbs?

    ResponderExcluir
  150. Olá Paula,

    Acho bem complicado afirmar que se comer isso ou aquilo vai ter tal ou tal doença... não dá pra afirmar isso! Assim como conhecemos pessoas que fumaram até 90 anos, conhecemos outros que infartam aos 30!

    Arroz branco é um amido seguro. Raízes e frutas são paleo carbs. Já os feijões (coisas que crescem em vagem) são diferentes. Precisa ver se toleram bem.


    Não vejo a necessidade de HIIT, a não ser que estejam gostando, mas a musculação é sim fundamental.


    Existem relatos no face de pessoas fazendo LCHF, trocaram o óleo vegetal por banha, cozinhando normalmente para os familiares e somente com isso a família já diminuiu a quantidade de alimento, ou seja, ficaram mais saciados. Não vejo problemas.

    "Não há necessidade de complicar com fases, regras detalhadas, etc. aquilo que, no fundo, é simples:
    1) Cortar açúcar;

    2) Eliminar grãos (especialmente trigo e soja);

    3) Evitar raízes ("tubérculos", em especial batatas) se você precisa perder muito peso (caso contrário, não);

    4) Optar por comida de verdade;

    5) Não consumir azeites extraídos de sementes;

    6) Perder o medo da gordura natural dos alimentos;

    Pessoal, no fundo é só isso!! Precisa de um doce? Coma uma fruta.

    Tá difícil perder peso? Elimine um pouco as frutas e/ou batatas. Cada um é diferente. Cada um precisa testar em si mesmo o que funciona, e aquilo que lhe torna possível seguir com o estilo de vida de forma continuada.¨" http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2014/01/reflexoes-sobre-postagem-anterior.html

    ResponderExcluir
  151. "Sandro já estava com suas reservas de glicogênios relativamente depletadas pela dieta low carb, e os 30% de glicogênio de seus músculos foram completamente exauridos devido à atividade anaeróbica excepcionalmente intensa.Para esforços anaeróbios extremos, os carboidratos são essenciais e indispensáveis."



    Tá certo isso? ou no lugar de anaeróbios, você quis dizer aeróbicos? visto que o ironman é totalmente aeróbico não é? a menos que o candidato dê um sprint nas fases finais...


    E aproveitando, e esses treinos intervalados aí (HIIT)? é possível sem carboidratos?

    ResponderExcluir
  152. Anaeróbicos. Há vários momentos anaeróbicos na prova. Uma coisa é fazer uma atividade por laser. Outra coisa são provas competitivas, onde há momentos anaeróbios. Sim, os treinos de HIIT podem ser sem carbs (o corpo usa os 30% de glicogênio). O problema é quando os carbs fazem falta numa competição. Minha ênfase aqui no blog é saúde, e não performance. Para performance competitiva, carbs ajudam sim.


    Em 7 de fevereiro de 2014 15:17, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  153. Olá Dr. baixei e li o livro,


    Bem interessante, agora vou tocar em outro ponto,
    em momento algum ele fala que o exercício aeróbico não é eficiente para a queimada de gordura, e acredito que em nos exemplos de queima de gordura (usando os cálculos Vo2Max) ele está se referindo, creio eu, ao exercício aeróbico, qual seria o problema? de você fazer exercício AERÓBICO, na faixa de queima de gordura, acredito que só tenha a ganhar com isso... Não sei se sou cabeça dura, mas nada me tira da cabeça que exercícios AERÓBICOS numa faixa de queima de gordura(baseados em calculos de fc, vo2max, etc) de longa duração são muito eficientes para queima de gordura, falo por experiência própria, sequei com corrida, natação, claro fiz dieta (convencional) mas acredito que foi 50%/50% e o aeróbico teve papel fundamental! e acredito que na Paleo Diet também é a mesma coisa, porque não seria?

    E outra, sobre aquele negócio de "poupar energias gastadas" acredito que não seja verdade, até porque os exercícios aeróbicos, também tem o EPOC! e continuam gastando energia após, como a corrida por exemplo, a natação já nem tanto... bom, sei lá... mas ainda acredito na eficiência dos aeróbicos prolongados pra queima de gordura. Até mais.

    ResponderExcluir
  154. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/07/exercicio-e-emagrecimento.html
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/02/2014 21:02, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  155. Boa tarde!



    Corro há 5 anos e enfim decidi correr uma Maratona. Sou ex-obesa (emagreci 32 kgs nos últimos 5 anos) e meu ortopedista me orientou a emagrecer de 8 a 10 kgs para correr com qualidade. Tenho uma deficiência na rótula e quanto menos sobrecarregar meus joelhos, melhor seria para a minha corrida...


    Com a dieta paleo/low carb consegui superar a compulsão alimentar e eliminar 3 kgs nas 2 primeiras semanas. Mas a minha dúvida é o que comer antes dos treinos ou mesmo durante a Maratona! No próximo mês, terei uma Meia Maratona e, normalmente, nesse tipo de prova, chegava a tomar 2 géis de carboidrato e 400ml de Gatorade. O que beber/comer durante esse tipo de prova?


    Andei pesquisando, mas não encontrei nada que esclarecesse essas dúvidas!

    ResponderExcluir
  156. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/09/paleo-low-carb-na-revista-runners-world.html http://carlinhostreinamento.blogspot.com.br/

    Em 18/02/14, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  157. Dr., então se eu estou ainda no começo da dieta (ainda não cetoadaptada, com 72kg, e tenho 1.65 de altura) posso começar a fazer musculação e não necessitar ingerir carboidratos (quero apenas fortificar meu corpo, e não tenho intenção de ficar "sarada")? Apenas devo ingeri-los quanto já estiver com meu peso ideal e quiser mante-lo, é isso?

    ResponderExcluir
  158. É um bom plano!

    2014-02-18 16:47 GMT-03:00, Disqus :

    ResponderExcluir
  159. Caro J. C. Souto, sou um grande defensor das dietas de baixo teor de
    carboidrato, conseguindo perder 28kg em um período de 4 meses. Gostaria
    saber suas opinião em relação ao meu caso, gostaria de saber em qual
    exemplo eu me enquadro melhor? Consigo entrar em cetose com um limite de 100g de carboidratos por dia, mas sinto uma pequena perda de desempenho. Será que posso aumentar esse limite, ou preciso apenas distribuir melhor essa ingestão no pré-treino?

    Faço musculação e Jiu-jitsu 3x por semana, totalizando cerca de 570 minutos de exercícios semanais. Basicamente, faço um deles de segunda a sexta.
    Att. Victor

    ResponderExcluir
  160. Para pessoas muito ativas, até 150g deve ser perfeitamente Ok.

    Em 31/03/14, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  161. Obrigado pela dica J. C. Souto. Muito obrigado mesmo. Me desculpe fazer outro post, mas a sua resposta não aparece no meu navegador.

    ResponderExcluir
  162. Boa noite, Dr.! A pergunta do título "exercício sem carboidratos é possível?" foi respondida, mas tenho uma outra dúvida. Gostaria de saber se hipertrofia sem carboidratos é possível, já que todo nutricionista esportivo indica para este fim o consumo de carboidratos (batata doce, mandioca, nhami etc, que possuem baixo índice glicêmico) alegando que os carboidratos contribuem para uma melhor síntese proteica. Então apenas com proteína e gordura a hipertrofia não é possível?

    ResponderExcluir
  163. http://ajpendo.physiology.org/content/293/3/E833

    Coingestion of carbohydrate with protein does not further augment postexercise muscle protein synthesis
    René Koopman , Milou Beelen , Trent Stellingwerff , Bart Pennings , Wim H. M. Saris , Arie K. Kies , Harm Kuipers , Luc J. C. van Loon
    American Journal of Physiology - Endocrinology and MetabolismPublished 1 September 2007Vol. 293no. E833-E842DOI: 10.1152/ajpendo.00135.2007


    ABSTRACT

    The present study was designed to assess the impact of coingestion of various amounts of carbohydrate combined with an ample amount of protein intake on postexercise muscle protein synthesis rates. Ten healthy, fit men (20 ± 0.3 yr) were randomly assigned to three crossover experiments. After 60 min of resistance exercise, subjects consumed 0.3 g·kg-1·h-1 protein hydrolysate with 0, 0.15, or 0.6 g·kg-1·h-1 carbohydrate during a 6-h recovery period (PRO, PRO + LCHO, and PRO + HCHO, respectively). Primed, continuous infusions with L-[*ring*-13C6]phenylalanine, L-[*ring*-2H2]tyrosine, and [6,6-2H2]glucose were applied, and blood and muscle samples were collected to assess whole body protein turnover and glucose kinetics as well as protein fractional synthesis rate (FSR) in the vastus lateralis muscle over 6 h of postexercise recovery. Plasma insulin responses were significantly greater in PRO + HCHO compared with PRO + LCHO and PRO (18.4 ± 2.9 vs. 3.7 ± 0.5 and 1.5 ± 0.2 U·6 h-1·l-1, respectively, *P* < 0.001). Plasma glucose rate of appearance (Ra) and disappearance (Rd) increased over time in PRO + HCHO and PRO + LCHO, but not in PRO. Plasma glucose Ra and Rd were substantially greater in PRO + HCHO vs. both PRO and PRO + LCHO (*P* < 0.01). Whole body protein breakdown, synthesis, and oxidation rates, as well as whole body protein balance, did not differ between experiments. Mixed muscle protein FSR did not differ between treatments and averaged 0.10 ± 0.01, 0.10 ± 0.01, and 0.11 ± 0.01%/h in the PRO, PRO + LCHO, and PRO + HCHO experiments, respectively. In conclusion, coingestion of carbohydrate during recovery does not further stimulate postexercise muscle protein synthesis when ample protein is ingested.


    Em 10 de abril de 2014 03:10, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  164. Dr. Souto, agora entendi pq minha glicose estava ficando abaixo de 70. Exercício aeróbico prolongado. Aí não tem glicogênio que aguente!

    ResponderExcluir
  165. Olá Dr Souto. Obrigada por sempre responder minhas intermináveis perguntas. =)

    Tenho uma dúvida, estou com o IMC 24. Faço academia há uns 7 meses, sempre aeróbico e comia muitos alimentos integrais, leite desnatado, pouca gordura, quase nenhuma carne vermelha. Ontem, fui fazer minha avaliação física(protocolo de Pollock), embora reduzi várias medidas(cintura, braços, quadril) e aumentei coxas e panturrilhas, minha composição de gordura corporal aumentou de 27 pra 31%. Meu professor me chamou de falsa magra, fiquei triste. Agora ele me passou um treino com 30 minutos de aeróbico intervalado(caminhada/corrida) e 30 min de musculação.

    Estou adotando a dieta low carb há quase 2 semanas, preciso de algo especial pra não continuar a aumentar minha gordura corporal?

    Muito obrigada,

    ResponderExcluir
  166. Olá Mari,

    Mas... aeróbico? Se você gosta, tudo bem, mas se o objetivo é eliminar gordura corporal, nada melhor do que hipertrofia e HIIT. Leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/07/exercicio-e-emagrecimento.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/exercicio-sim-mas-nao-o-que-lhe.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2011/12/por-que-o-exercicio-fisico-tambem-nao.html

    ResponderExcluir
  167. Olá Patricia,
    Tudo bom?
    Obrigada por responder. Eu li os textos e entendi que preciso de mais intensidade pra queimar gordura.
    Estava lendo o que é Hiit, eu não entendo muito de exercícios de academia, sempre fui muito parada. Vou tentar fazer intervalado no elíptico com carga pesada e aliviando(pois a corrida de esteira machucou meu joelho) e fazer musculação com mais peso... acha que assim está bom? tá muito light ou tá muito pesado?
    muito obrigada!

    ResponderExcluir
  168. Se o joelho machucou, melhor não fazer elíptico tbm não... veja isso primeiro.

    ResponderExcluir
  169. Precisa PACIÊNCIA - falamos em 90 dias


    Em 23 de maio de 2014 09:03, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  170. Cláudia, eu tinha muitas dúvidas com relação à manutenção ou não da quantidade de carbs que eu ingeria até alguns dias atrás, pois tenho como objetivo a hipertrofia. O seu blog e o do Dr. Souto estão me tirando todas as dúvidas. Você também tem sido uma referência pra mim, pois eu estava com receio de não conseguir ganhar massa com a dieta paleo. O objetivo agora é conseguir preparar meus alimentos sempre em casa. Eu vi que você não consome muita gordura, ainda tenho dúvida com relação a isso, então estou comendo carne gorda e bacon, que você não coloca na sua dieta. Vou esperar pra ver como será minha adaptação, e, dependendo, pretendo deixar de lado a gordura da carne e o bacon também. Abraços e muito obrigado pelo trabalho de divulgação de sua qualidade de vida!!!!

    ResponderExcluir
  171. Jaqueline Bárbara Ferreira14 de julho de 2014 20:32

    Dr. Souto, qual a quantidade de carboidrato que preciso ingerir, uma vez que pratico atividade física de alto impacto? Tive muita tonteira e fraqueza, e estou na dieta ha uma semana. Se não for muito incômodo, gostaria de lhe solicitar que me sugerisse o que comer antes dos treinos. Em tempo, meus treinos são diários.
    Desde já grata,

    ResponderExcluir
  172. A adaptação a low carb para atividade física leva umas 4 semanas (6 para atletas competitivos). Ou você reduz a intensidade do treino, ou aumenta os carbs. Precisa definir seu objetivo primordial: performance atlética ou perda de peso.

    Sent from mobile phone
    Em 14/07/2014 20:40, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  173. Cláudia, acompanho seu blog desde o comecinho e te admiro demais... É uma excelente escritora, uma atleta maravilhosa e uma pessoa sensacional! Obrigada por me incentivar e compartilhar sua vida com todos no seu blog. Um super beijo!

    ResponderExcluir
  174. Dr. Souto, é possível o ganho de massa muscular na ausência de carboidratos? Qual a sua sugestão de alimentação paleo para ganho de massa muscular? Quando digo "sugestão", não quero dizer dieta, mas sim uma regra ou dica em geral, entende?

    ResponderExcluir
  175. Sim! leia; http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    ResponderExcluir
  176. Nós corremos, e eu corro, porque gostamos, porque nos faz sentir bem, dá um "barato". Eu corro porque gosto, porque quero! Não sou gordo, mas adoto o estilo paleo.

    ResponderExcluir
  177. ��������

    ResponderExcluir
  178. Olá Rodrigo, boa noite! Eu não sou nenhum modelo da dieta (ou estilo) paleo, pois fujo bastante, sobretudo nos fins de semana. O meu vinho e os jantares com minha mulher e meus amigos me fazem escorregar, entretanto, tento me manter dentro da linha, carnes, peixes e verduras, sobretudo brócolis.
    O fato é que apesar de esta fazendo musculação como sempre fiz e correndo menos do que gosto, nunca tive tanto ganho de massa muscular quanto nos últimos meses e quase sem suplementos (só um BCAA antes dos treinos e WP muito raramente). Ou seja, com muito pouco carb e muita gordura e carnes, ovos, castanha, abacate, saladas e brócolis, estou na minha melhor forma. E olha que tenho 46 anos, idade em que ganhar massa magra é bem. Mais difícil.
    Portanto, meu conselho: quer músculos, faça paleo; quer gordura, vá ao "nutricionista" da academia ou do spa.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  179. Ola Felipe! Achei perfeito esse seu comentario neste post, pois fui diagnosticada com crondopatia patelar, acho que eh grau 1, ja q eh so amolecimento da cartilagem sem fissuras. Mas na Resson. Mag. deu crondopatia patelar no joelho esquerdo com leve edema + derrame. O ortopedista passou 15 dias de celebra(antiinflamatorio) + 10 sessoes de fisio,que ainda vou iniciar. O q vc me sugere? preciso perder peso e n sei oq fazer. tenho uma esteira em casa. estou em low carb. Posso fazer a musculacao a fim de fortalecimento muscular?ou tenho q aguardar os resultados da fisio? nao sinto dor, mas sinto fraqueza e mtos estalos no joelho esquerdo ao subir escadas e pra descer. Qd poderei voltar a fazer o hiit como corrida na esteira? caminhada em jejum assim q acordar ajuda a queimar gordura sem prejudicar joelhos? por favor me dê uma luz. abraços e obg

    ResponderExcluir
  180. Sei q o post é de um ano atrás, mas estr artigo está de Parabéns!! Dr Souto arrasou!! elucidou minhas dúvidas e me animou! tenho uma esteira em casa e estava ate pensando em vender com medo de nao poder mais pratkcar corrida em hiit. Sera q apos tratar e fazer o fortalecimento muscular vou poder voltar a fazer o hiit clmo corrida na esteira?

    ResponderExcluir
  181. Dr. Souto, Exercício em AEJ da resultados mesmo em objetivo de perda de gordura? Li uns artigos do Dr Paulo Gentil , expert em treinos, que diz q nao adianta nada. Ele so recomenda exercícios tipo o HIIT. Sendo que estou em início de low carb, na ressonância deu crondopatia patelar no joelho e derrame, o ortopedista passou fisio e antiinflamatorio. vou depois teiniciar minha musculacao com fisioterapeuta pra fortalecimento muscular. ele proibiu agahamento e tal. minhas duvidas: 1) visto que nao posos mais correr em esteira, o AEJ caminhando ajuda a perder gordura ou é mito?!corro risco de perder a massa magra? qual a frequencia e duração seria ideal? 2) na musculacao nessa academia de reabilitacao o treino é de 45 a 60 min, as series sao de 2 a 3 de 15 repeticoes. e mtos exercícios em isometria. Esse tipo de musculacao ajuda na perda de meso e manutencao da massa magra?? ou so funciona se for treino com muita carga estilo treino hit? depois desse problema no joelho fiwurj desestimulada sem saber que aerobico praticar. e nao queria ficar com a esteira de casa parada :/ Grata or sua atenção.

    ResponderExcluir
  182. O que ajuda a perder gordura, MESMO, é dieta. O resto é adjuvante


    Em 1 de agosto de 2014 09:54, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir